O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


domingo, 26 de fevereiro de 2012

Crise na horticultura nortenha - oportunidade para os pequenos frutos

Tenho constatado que a horticultura da região Norte, sobretudo a horticultura em estufas está a sofrer uma crise de rentabilidade muito por culpa da distribuição organizada, a qual à medida que o tempo passa, baixa os preços, atrasa os pagamentos, usa os preços mas baixos das produções importadas para baixar os das produções nacionais, tiram partido da desorganização da oferta na expetativa de terem preços mais baixos, mas infelizmente, não é por baixarem os preços ao consumidor que este compra mais quantidades. Por outro lado para se exportar é preciso maior escala de produção, bons contatos internacionais para os operadores certos porque a concorrência é muito forte. Estes são os principais fatores que explicam que a exportação ainda não seja uma alternativa efetiva ao mercado nacional.

Na minha opinião, as estufas da horticultura podem ser reconvertidas para a produção de pequenos frutos, os quais podem ser exportados. Louvo publicamente o trabalho que as Delicias do Tojal e o Grupo Sousacamp estão a fazer na exportação dos peqeunos frutos produzidos no modo de produção biológico e convencional, respetivamente.

Sem comentários: