O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


sábado, 10 de março de 2012

Jovem Empresário Agrícola

Tenho participado em muitas reuniões com jovens potenciais interessados em instalarem-se como jovens empresários agrícolas e chego à conclusão que muitos deles têm dificuldades em perceber que a agricultura é um negócio, como qualquer outro e que para fazer negócio é necessário ter perfil para correr riscos, capital próprio e alheio para investir, caraterísticas pessoais para liderar os colaboradores, conhecimento dos pormenores da atividade, quer técnicos, quer operacionais, etc.

Na minha opinião, os estágios em explorações agrícolas, com duração de vários meses, são essenciais para que o jovem conheça "os ossos de ofício" da atividade agrícola que irá abraçar e sentir se está realmente motivado/apaixonado, com coragem para ultrapassar as frustrações e problemas que lhe irão aparecern nos primeiros 3/4 anos. A realidade da agricultura é muito diferente das ideias e sonhos que temos em mente, noto que tem sucesso quem consegue ajustar os objetivos que sonhou, reajustando-os à medida que conhecem as condicionantes que atuam sobre as fileiras.

É determinante para obter sucesso fazer ações de benchmarking, quer sobre explorações agrícolas em Portugal, quer naquelas que estão em países liderantes da nossa atividade (para conhecer a fileira dos kiwis já visitei kiwicultores e entrepostos em Portugal, Espanha, França Itália, Chile e Nova Zelândia. Aprendi mais nos 8 a 10 dias de cada visita que vários anos a trabalhar sobre a mesma realidade. Quando não se pode visitar é importante fazer recolha de informação sobre as tecnologias de produção, capacidade empreendedora dos agricultores e suas organizações, formas de organização das fileiras desde a produção á agro-industria, passando pela distribuição).

Ocupo muitas horas de reflexão para determinar as causas que explicam que tenhamos dificuldade em trabalhar para planearmos os pormenores dos negócios que abraçamos. Alguém me sugere alguma dica?
  

Sem comentários: