sábado, 14 de abril de 2012

Estratégia para Instalação de Jovens Agricultores

Perguntam-me muitas vezes: qual a estratégia que devo fazer para me instalar como jovem empresário agrícola?

A minha resposta é a seguinte:
1 - Fazer o levantamento na internet das atividades agrícolas que podem ser mais interessantes.
2 - Organizar um plano de visitas a explorações e organizações de comercialização, nacionais e estrangeiras, com o objetivo de recolher o máximo de informações (elaborar um guião de perguntas e pontos a validar. elaborar um relatório de cada visita) para decisão sobre as atividades a eleger (entre uma a duas).
3 - Rever e atualizar o plano de trabalhos de quinze em quinze dias até chegar ao objetivo final: Tomar a decisão sobre as atividades a investir tendo em conta o perfil do empresário, a sua maior ou menor intensidade em capital, acompanhamento no campo, mão de obra, etc. Recomendo que escolham atividades que tenham em conta a vocação do empresário, aquelas que lhe geram paixão, que teem a ver com o seu perfil pessoal (para uma melhor escolha trabalhar nas explorações agrícolas para saberem "os ossos de ofício" especificos).
4 - Elaborar o plano de negócio. Definir com rigor os capitais próprios ou alheios necessários ao investimento e exploração até se tornar positiva a conta de tesouraria
5 -  Apresentar a candidatura ao ProDeR para captar os incentivos de primeira instalação de jovens agricultores
6 - Estagiar
7 - Com as ajudas do ProDeR contratadas avançar para o investimento

4 comentários:

Anónimo disse...

Pergunta da neta de 37 anos ao avô de 92 anos: o que é que eu tenho de fazer para ser uma boa jovem agricultora?
O avô respondeu: quando não conseguires fechar as mãos de tanto doerem e de tantos calos teres, tenho a certeza que nessa altura serás uma boa agricultora.

Nota: este relato é verídico e ocorreu no fim de semana da Páscoa.


Ou seja, não se iludam os que andam atrás da cenoura dos subsídios que sem muito trabalho nunca chegarão a bom porto.

Boa semana
NA

Nandinha disse...

Concordo plenamente com a opinião deste anónimo. Haverá, certamente, algumas pessoas a pedirem subsídios e a não quererem trabalhar, o que dará muito mau nome à agricultura em geral. A Agricultura não pode voltar ao tempo que as pessoas compravam grandes carros à conta dos subsídios.

Paula Baptista - Agropinktec, Lda. disse...

Boa Tarde,

Penso que as pessoas que estão a deixar os seus empregos ou a tentar conciliá-los com a actividade agrícola na sua maioria querem uma mudança de vida radical e apostar a valer no setor primário. No meu caso deixei a minha profissão para me dedicar a 200% a um projecto agrícola, não tem sido fácil os entraves são muitos, burocracias ainda mais.... por isso neste momento penso que estamos num ponto de viragem nível de mentalidades....(ou pelo menos assim espero e é para isso que me empenho e trabalho)

filipedro disse...

concordo com a paula, acho que esta nova geraçao que se vira para este sector vem de sectores em que se habituaram a trabalhar, nomeadamente gente que vem da construçao civil, acho que vem para viverem e nao terem que imigrar e com disposiçao de trabalhar pois é esse aspecto, falta de trabalho que os motiva embora os subsidios sejam um incentivo que tem levado com que as pessoas mais facilmente optem por esta area, como também novo modo de vida e regresso a sitios muitas vezes que tem valor sentimental que muitos guardam nas lembranças de infancia quando iam á terra e viam o avô a trabalhar a terra, isto puxa por nos com boas recordaçoes e um sentimento de regresso ás origens que temos com orgulho...