O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


domingo, 15 de abril de 2012

Estratégia para o desenvolvimento e crescimento de Trás-os-Montes

Assisti na passada 4.ª Feira, dia 11 de Abril 2012 ao Programa da RTP1, da equipa do Prós e Contras com o titulo “Portugal hoje – retrato da interioridade”, em Bragança. Esta iniciativa  teve como objectivo discutir a fundo diversas questões regionais de interesse público, abordando as diferentes perspectivas, ideias e opiniões sobre a estratégia de promover o desenvolvimento da região de Trás-os-Montes, em particular e o a região Interior de Portugal, em geral.  A iniciativa destina-se a “pensar” a região como um todo, recolher contributos diversos, trabalhar para construir um caminho, que ajude todo o Trás-os-Montes a alcançar o tão ansiado desenvolvimento.

Achei estranho porque não houve a intervenção de nenhum empresário, sei que um empresário meu amigo, penso que será o maior do distrito de Bragança foi convidado para participar, não esteve presente por motivos de agenda, mas infelizmente, na minha perspetiva, faltaram as opiniões daqueles que diretamente são os agentes e concretizadores dos investimentos.

Intervieram os líderes de opinião da região de Trás-os-Montes e do país, que não conseguiram passar do estágio dos diagnósticos, tipicos da vida pública portuguesa. Louvo a apresentadora, Fátima Campos Ferreira, a qual tentou por todos os meios que alguma das pessoas que falou desse, pelo menos, uma ideia concreta de uma estratégia para promover o desenvolvimento. Foi com pesar que assisti ao Programa e verifiquei que não teve interlocutores à altura do desafio.

Gostaria de ter participado e explicado aos portugueses a  "Rede de Cooperação da Fileira do Castanheiro", a proposta "ReFCast - Reforço da Cultura do Castanheiro", bem como as razões porque que esta proposta concreta de estratégia para promover o desenvolvimento do Interior de Portugal nunca avançou por falta de apoio do poder político. Com a experiência desta rede e com o background que possuo no desenvolvimento rural, poderia ter lançado o desafio, em direto, para se começar a estratégia de construir o desenvolvimento concreto de Trás-os-Monte bem como, vincar que o seu sucesso estaria dependente de uma sessão pública,dentro de um ano, para a sua avaliação e projetar o ano seguinte.

A metodologia a utilizar é a mesma que se recorreu para construir o RefCast, lançar o desafio aos players da região para participarem, organizar sessões de trabalho, com periodicidade quinzenal ou mensal, com objetivos especificos que teem de ser atingidos por sessão e por períodos temporais (mensais, trimestrais e anuais), que motivam os parceiros a participarem afincadamente porque cada player é obrigado a intervir e á medida que o tempo passa, reconhecem que o seu trabalho tem valor, o resultado final tem maior valor que a participação individual de cada um.

Seria interessante analisar o que se tem conseguido construir na fileira do kiwi, através dos seus planos estratégicos, da região do Entre Douro e Minho e da Sub-Fileira do Kiwi, bem como do Programa de Promoção das Plantações de Kiwis na Região de Bairrada entre 2000 e 2004 (130 ha) e adaptar estas estratégias/resultados para construir soluções para desenvolver a Região Interior de Portugal  



   

 
 

Sem comentários: