O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


sexta-feira, 27 de março de 2015

Aboboras Gila


"Exmo. Senhor Eng. José Martino

Antes de mais quero felicitá-lo pelo excelente trabalho no seu blog. Um trabalho realmente útil para os interessados na área agrícola, tanto para principiantes (como eu) ou para os mais experientes.

Passo a citar o motivo deste contacto, tenho vindo a produzir anualmente, e em pequena escala, aboboras Gila. Consigo escoar parte da produção para particulares e a outra parte para um único cliente que me compra para vender a outros. (diz ele)

O meu pedido de ajuda, conselho, é o seguinte, sendo o senhor uma pessoa que está ativamente dentro da área agrícola deste pais e arredores, tem conhecimento de algumas empresas/organizações ou cooperativas que recebam esta abobora diretamente do produtor, tanto para transformação ou para exportação?

Tem alguma opinião formada a cerca da produção desta abobora, inicialmente esta a servir-me apenas como um extra anual, que nesta altura de crise me tem feito muito jeitinho. 

No fundo o meu objetivo é alargar a produção, tenho pesquisado muito mas não tenho tido muito sucesso em encontrar empresas para o escoamento direto do produto, no entanto esse tal senhor que me leva cerca de metade da produção (entre 5 e 9 cent./Kg), parece ter grande facilidade em escoar toda a produção e mais alguma. Pelas entrelinhas e sem se alongar muito até já me falou que algumas vão parar a frança.

Um muito obrigado desde já pela possível resposta,

Com os melhores cumprimentos"
 
Comentários:
1 - Não publico nomes, endereços de e-mail e n.º de telemóvel, por isso não é necessário pedir-me para não fazer.
 
2 - Faça o seu trabalho comercial: contate cadeias de supermercados, grossistas nos mercados abastecedores de Lisboa e Porto , empresas grossistas, etc. Contate o AICEP  para conseguir contatos de importadores franceses.
 
3- Na minha opinião este é um negócio para quem tem contatos comerciais e ao mesmo tempo sabe produzir este tipo de abóboras.

Sem comentários: