O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Quero lançar-me na agrioultura: o que me aconselha?


"Boa tarde Eng. Martino, 

Antes demais queria dar-lhe os parabéns e agradecer pelo seu blog que pelo que vi muito ajuda os jovens.

Estando eu com 26 anos e vendo poucas oportunidades pela frente pelo facto de não ter tirado nenhuma formação superior e pelo facto de que quem tirou muitas vezes também se encontra no desemprego, tenho-me sentido algo tentado com este projecto, neste momento e pelo facto de eu por arrasto dos meus pais ter bastante gosto em orquideas, gostaria de lhe perguntar se seria possível eu obter estas ajudas para financiar um projecto destes, ou seja ser produtor de orquideas, isso seria possível e viavel na sua opinião? 

Se não o que aconselha? 

Haverá alguma hipótese de eu encontrar neste projecto uma saída? Não tendo nem terreno nem dinheiro para investir, conseguiria eu criar algo com estas ajudas?  

Agradeço-lhe mais uma vez agora pela atenção que possa dar ao meu e-mail.

Com os melhores cumprimentos
 
 
Comentários:
1 - Não me canso de insistir na mensagem que passo neste blogue que para um jovem se lançar em qualquer atividade agrícola deve começar por ter o canal comercial que lhe vá valorizar e escoar as suas produções agrícolas.
 
2 - Não é possivel ser-se empreendedor agrícola sem o mínimo de capitais próprios, do proponente e ou da família, 20 % do total do valor do investimento + fundo de maneio necessário atá ao equilíbrio da tesouraria.
 
3 - Recomendo que seja trabalhador em explorações agrícolas de referência e aforre, dentro do que lhe seja possivel, até conseguir ter algum capital e conhecimento de gestão e técnico das atividade para se conseguir laçar na agricultura com o mínimo de risco. 

Sem comentários: