O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quinta-feira, 2 de julho de 2015

Artigo JN

Artigo que escrevi e que o JN publicou no passado dia 11 maio:


Consultório agrícola e tribo digital
José Martino

 As novas tecnologias são hoje um instrumento de trabalho fundamental para potenciar qualquer atividade. Ferramentas essenciais da comunicação, elas permitem atingir resultados que, desde que bem utilizadas, garantem os objetivos traçados, um desenvolvimento nunca esperado. As redes sociais e os blogues são, neste campo, meios ideais para se atingirem os fins de alto nível.

Também neste aspeto a agricultura se modernizou. Não só na área da produção e exploração do negócio agrícola, onde os jovens agricultores portugueses utilizam os meios de produção mais avançados tecnologicamente que existem no mercado, mas também por parte do Ministério da Agricultura com a totalidade das candidaturas submetidas de forma digital, bem como na perceção de que a liderança utilizando a comunicação e o marketing é decisiva para o sucesso do negócio agrícola.

Até a mim, a utilização das novas tecnologias pelos agricultores portugueses para estar 'update' sobre o negócio agrícola me surpreende. Sinto isso todos os dias quando trabalho projetos para o PDR 2020 ou a minha equipa faz contabilidade agrícola de produtores em todo o território nacional ou no meu blogue, josemartino.blogspot.pt, que, sem falsas modéstias e cingindo-me apenas aos números de visitantes, é a plataforma digital mais acedida na blogosfera sobre agricultura. Há 7 anos que recebo diariamente dezenas de emails sobre questões agrícolas e o blogue já se transformou numa espécie de consultório agrícola, sobretudo para quem quer entrar nesse admirável mundo novo da agricultura. São consultas pro bono, que dou com muito prazer e satisfação, apesar de me ocuparem muitas horas, nomeadamente ao fim de semana, e muito trabalho.
Sei que estou a fazer um verdadeiro serviço público e a contribuir para uma agricultura mais moderna, do mesmo modo que este grupo dos novos rurais competentes nas tecnologias e redes sociais, estamos a transformar as agriculturas de Portugal, não deixando pedra sobre pedra, mas transformando-as numa excelente nova realidade, a qual dificilmente tínhamos ousado sonhar seja como consultório agrícola e tribo digital.

Sem comentários: