O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

2,5 ha de terreno na Tocha: o que cultivar?

Boa tarde Eng,

Começo por ir direto ao assunto: Possuo uma área na zona da Caniceira da Tocha (totalmente arenoso), com cerca de 2,5ha. Além do potencial de improdutividade do eucalipto (óbvio, dizem..) e dos longos anos de espera por eventual rentabilidade do pinheiro bravo, gostaria de fazer algo produtivo e de interesse, considerando que sou um leigo (ainda) no que quer que seja que possa vir a fazer. Assim, o que me trouxe:
1. Será o pinheiro manso, para produção de pinha, sequer, viável (rentável) numa área desta dimensão?
2. Se não, qual a área que deveria ter para que fosse eventualmente rentável? 
3. Será este um produto que possa integrar uma candidatura a jovens agricultores?
4. De forma simples, caso não o tenha feito, pode enumerar principais problemas que possa ver com esta área de investimento?

Para já ainda não estou a tentar responder a questões como "quem poderá comprar este produto?". Gostaria acima de tudo de perceber o que fazer ali, com mais ou menos área.

Fico disponível para eventual conversa pessoal ou para considerar eventual aconselhamento futuro.


Voltando ao início, mais do que o felicitar pelo espaço de partilha (blog), gostaria de enaltecer o tempo que disponibiliza e o caráter que revela ao partilhar ideias que muito comumente são fechadas a sete chaves...

O meu nome é ... sou gestor, licenciado em contabilidade, com MBA, consultor de negócios, incluindo candidaturas a incentivos, informado de alguns (hipotéticos) problemas de base da Agricultura e Floresta em Portugal, mas ignorante o suficiente para não conseguir fazer nada sobre isso.

Não obstante o que sou e o que faço, considerando a orientação estratégica nacional inerente aos fundos comunitários, sem dúvida que como (potencial) (pequeno) investidor, a título particular olho para a agricultura e floresta como áreas de oportunidade. Na família existe alguma ligação à "terra" (pais e sogros), principalmente com eucaliptais e vinha, mas tirando isso, "estou sozinho".

Agradeço antecipadamente eventual resposta/interesse que possa manifestar por este contato.

Melhores cumprimentos,

Comentários:
1 - Ser empresário é assumir uma posição de solidão na gestão do negócio e dos seus superiores interesses e daí, não me escandaliza que se sinta "estou sozinho".

2 - A produção de pinhões de pinheiros mansos parece-me uma boa solução com alguma rentabilidade interessante para uma atividade extensiva. Os 2,5 hectares de superfície de exploração parecem-me muito abaixo da economia de escala deste tipo de cultura.

3 - Eu faria uma opção por mirtilos ou kiwis amarelos de tivesse água disponivel para rega em quantidade (7000 m3/ha/ano) e qualidade (água pouco salina).

4 - Os principais problemas passam por conseguir dominar os pormenores da tecnologia de produção   e a  falta de operadores comercialização das produções  

Sem comentários: