O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Variedades regionais autóctones de macieiras

Escrevi neste blogue o seguinte sobre projectos de variedades de macieiras autóctones ou regionais: 

4 - Recomendo que faça uma exploração com a superfície mínima de 10 hectares de macieiras. A médio prazo (5 - 7 anos) terá de caminhar para os 20 - 25 hectares.

5 - Na minha opinião, há lugar para uma exploração de macieiras com variedades autóctones, tradicionais portuguesas, um "projeto de autor", marca própria, verticalizado, da produção ao consumidor, passando pela comercialização, recomendo a sua promoção tirando partido da internet e das redes sociais.


E recebi o seguinte comentário de um leitor:


Boa Noite 
Será que o Sr. Eng. Martino conhece a variedade Porta da Loja? 
Será que tem a noção que o maior produtor mundial desta variedade não deverá ter mais do que 4ha? 
Será que tem profundo conhecimento do mercado desta cultivar? Ou será que pensa, tal como o interlocutor que esta cultivar é largamente exportada?


Comentários:
1 - Um projeto de autor contempla a produção, o entreposto e a distribuição através de uma marca própria. Para tal é preciso uma dimensão de atividade que tenha uma rentabilidade miníma, a qual é na minha opinião, a indicada acima.

2 - Defendo que se deve optar pela plantação de uma multiplicidade de variedades regionais (acima de 8) para se diminuir o risco do negócio e experimentar cada uma delas nos várias formas de comercialização e segmentos de mercado. O daria na fase de cruzeiro., em média, pouco mais de 3 hectares por variedade, o que se enquadra na preocupação do leitor, temos o mesmo enquadramento estratégico.

Sem comentários: