O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

O que fazer na minha situação?

"Boa noite senhor José Martino, 

Eu chamo-me ..., sou estudante de Engenharia Agronómica na UTAD. Entrei em Engenharia ... na ..., mas entretanto mudei para Agronómica este ano. Eu desde sempre que tenho um gosto muito grande à terra e agricultura, mas estou um pouco apreensivo em relação ao meu futuro, pois a maior parte dos meus colegas já têm ligações a agricultura, inclusive terrenos e culturas que já vêm de trás, e eu não tenho agricultura na família, nem sequer terrenos... Será que estou no curso certo, ou que terei futuro nesta área, na minha situação? 
Estou a contactá-lo por ser uma referência nesta área, e talvez me tenha algo a dizer.
Fico a aguardar resposta. 
Agradeço desde já a sua disponibilidade."

Comentários:
1 - Como tem vocação para a agricultura, vá em frente, não fique apreensivo, estude afincadamente, estagie todos os anos aproveitando as férias, troque ideias com os seus professores, aproveite todas as oportunidades para falar com empresários agrícolas, frequente acções de formação profissional, crie uma rede de contatos, etc. O seu sucesso vai ser grande porque é capaz de o sonhar e irá trabalhar afincadamente para o conseguir.

2 - Estou certo que terá futuro risonho como engenheiro agrícola se dominar técnicamente os temas agrícolas, fazendo-o através do estudo e complementando-o com a reflexão sobre a realidade do campo e trabalho quer como operador, quer como técnico.

3 - Posso deixar-lhe uma pouco da minha experiência de vida como engenheiro agrónomo: 
- Estudei para saber os conceitos técnicos, dominá-los e saber relacioná-los;
- Tentei ser um especialista na cultura do kiwi, visitando a maioria dos produtores, falando com os técnicos, conhecendo a multiplicidade de variações das condições de plantação (solos, climas, diferentes técnicas de implantação e exploração, etc.), dando assistência técnica de campo a centenas de kiwicultores em Portugal e Espanha;
- Mais tarde abracei o segmento de projetos, gestão de investimentos, consultoria, etc. e o desenvolvimento rural, seja na animação das fileiras por visitas de estudo, workshops, semninários, etc.
- Procurei soluções tecnológicas no estrangeiro, ações de benchamarking, adaptações de tecnologias às agriculturas de Portugal.
- Mais recentemente visitei os principais países produtores de pequenos frutos sobretudo mirtilos com o objetivo de chegar às melhores tecnologias de produção a implementar em Portugal.
- Recentemente fiz um levantamento técnico económico da cultura do pistácio e das melhores tecnologias para otimizar o seu negócio de produção.
- Parto do princípio que há muitas culturas em Portugal que não têm especialistas e cada um de nós técnicos tem a oportunidade de encontrar uma delas a que pode estar ligado e ser incontornável.   

NOTA: O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.

Sem comentários: