O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


sábado, 30 de setembro de 2017

Na agricultura não é fácil produzir

Não me revejo na frase "fácil é produzir, difícil é comercializar". É difícil produzir, quando se quer ter qualidade, o perfil do produto que o mercado quer trocar por euros e ao mesmo tempo obter a produtividade (produção por unidade de superfície ou por animal) mínima para gerar rentabilidade para fazer face aos encargos reais e atribuídos. Isso obriga a investir em equipas, conhecimento e experiência. Contratar chefe de exploração ou operadores especializados competentes, visitar explorações de referência, em Portugal e no estrangeiro, procurar introduzir valor acrescentado às produções, obter apoio técnico e de gestão com grande qualificação. Só assim se conseguirá dimensão, economias de escala, e um produto uniforme (os produtores de um dado produto têm de produzir com processos idênticos).

Os empresários agrícolas, jovens ou mais velhos têm de assumir que a agricultura não é um "hobby", é uma actividade e um negócio muito sério e um desafio muito grande de risco elevado, uma "industria" a céu aberto. É também um sector de actividade aliciante e repleto de potencial económico e rentabilidade.

Dito isto: é preciso ter perfil de empresário agrícola e ter a noção que tal obriga a uma disponibilidade quase total do próprio ou da equipa. Só assim se consegue fazer a operação certa na hora certa, evitar os problemas e corrigi-los quanto antes. Este é um dado importante. Deixar para amanhã a operação que se deve fazer hoje pode implicar prejuízos enorme e o fim de um sonho. 

Sem comentários: