O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Crédito bancário de apoio ao investimento agrícola e à tesouraria das empresas agrícolas

Tenho prestado serviços de consultoria a alguns empresários agrícolas que necessitam de apoio na obtenção de financiamento junto dos bancos para os seus projetos agrícolas sobretudo na fase de investimento.

Verifico que os bancos estão muito focados na antecipação das ajudas publicas de apoio ao investimento no âmbito do PDR2020, risco de operação perto de zero, porque quando o dinheiro das ajudas chega à conta bancaria do promotor o banco retira automaticamente os capitais que emprestou.

Por outro lado, enquanto o promotor não tiver a sua candidatura aprovada praticamente não consegue apoio bancário mesmo que tenha a estrutura de capitais próprios adequados porque os principais bancos a operar em Portugal preferem financiar crédito à habitação, crédito ao consumo ou crédito automóvel em lugar de negócios de startups que geram riqueza corpórea na agricultura ou industria. Quando consegue a aprovação do projeto, o jovem agricultor verifica que há maior abertura por parte dos bancos para financiar, embora em média, fazem nestes casos condições mais caras que os créditos mais usuais identificados neste parágrafo.

Na minha opinião, todos deveríamos aprender com o passado e por isso, seria recomendável limitaro crédito ao consumo, automóvel e habitação, havendo um maior estudo e conhecimento por parte dos bancos das atividades agrícolas, dos seus mercados, das suas exportações, dos seus players, do potencial de rentabilidade para as principais explorações vegetais, agrícolas ou florestais, bem como pecuária, tendo como objetivo estarem por dentro destas fileiras e fazer com que os bancarios estejam devidamente identificados com os seus pormenores, não tendo medo e receio de os financiar, em condições de risco semelhante aos outros tipos de crédito.

Cada vez faz mais sentido linhas de crédito bancário de longo prazo (acima de 10 anos, sendo desejável operações com duração entre os 15 e os 20 anos, havendo 3 a 5 anos de carência de amortização de capital) para financiar os investimentos agrícolas como alternativa ou complemento às ajudas públicas atribuídas através do PDR2020. Muitas destas operações poderiam ser garantidas pelo património imobiliário da habitação do promotor, fazendo-se a operação de  crédito nos mesmos moldes do crédito à habitação: garantia real do imóvel e a prestação mensal sendo uma parte do rendimento do trabalho do agregado familiar e/ou recorrendo às contragarantias prestadas pelo sistema de garantia mútua.

Nesta altura, em que há um montante de candidaturas cujo valor total em incentivo não reembolsável é sete vezes superior ao montante de apoios que o Estado tem disponível para atribuir, um sistema alternativo de tramitação simples através do crédito bancário seria muito importante para manter os níveis de investimento e a motivação no setor.     
 

Sem comentários: