O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Produtividade do trabalho a chave para criar valor acrescentado em Portugal

A produtividade em Portugal encontra-se a cerca de 60% do valor médio da União Europeia e metade do valor dos EUA.

O que podemos melhorar dentro do nosso horário de trabalho para produzirmos mais e construirmos um Portugal desenvolvido?

Tenho uma pessoa amiga que foi empresária durante várias dezenas de anos, por vicissitudes de mercado o seu negócio tornou-se obsoleto e foi obrigada a tornar-se trabalhador por conta d'outrém. Os seus colegas de trabalho têm dificuldades em perceber a sua atitude enquanto trabalhadora porque faz menos pausas para café e aproveita todo tempo disponível dentro do seu horário de trabalho, além disso, quando tem o seu trabalho atrasado faz um esforço adicional para recuperar, faz ponto de honra, em ter em dia e dentro dos prazos estabelecidos, o que lhe está atribuído. Os seus colegas fazem pressão psicológica para que se "integre no rebanho". Infelizmente, em média, no mundo do trabalho faz-se um nivelamento por baixo, tentando "abater" aqueles que querem progredir e pretendem diferenciarem-se por serem o mais produtivo que lhes seja possível, cumprindo e ultrapassando os objetivos traçados, aqueles que estão ao alcance das suas competências, fazem um esforço adicional para ganhar conhecimentos e irem para além deles.

Por outro lado, os empresários também a sua quota parte de responsabilidade porque não conseguem criar métodos que promovam o incremento da produtividade do fator trabalho, a avaliação pelos resultados, o pagamento de incentivos pelo mérito, práticas estas  que motivem as equipas e cada um dos seus membros.

Nas agriculturas de Portugal, noto na maioria das explorações agrícolas há deficiente gestão de pessoal, pouco foco no registo e controlo dos resultados, pouca preocupação, há medida que o tempo passa, do próprio empresário em competir consigo próprio, em cada ano agrícola ter o foco de ultrapassar os resultados obtidos pelas suas equipas nos anos anteriores. Se não há foco nos resultados e na rentabilidade, como pode haver melhorias, como pode ser incrementado o valor acrescentado do negócio e remunerar melhor a mão de obra?

Defendo que se devem motivar os empresários agrícolas para gerirem melhor as suas explorações, seja por estímulos externos, seja por automotivação, há muito a fazer e muitas dessas coisas estão ao alcance do empresário. Ele só precisa de acreditar, planear e trabalhar. O incremento da produtividade do trabalho é uma das vias para melhorar a rentabilidade nas explorações agrícolas 


Sem comentários: