O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quarta-feira, 28 de março de 2018

Uma proposta de estratégia de desenvolvimento económico para o Interior de Portugal

Fiquei deliciado com a entrevista que Airton Cerqueira das Delícias do Tojal deu à revista "Vida rural" (https://www.vidarural.pt/insights/unir-produtores-para-ganhar-forca-nos-mercados/).

"Delícias do Tojal" é uma empresa pioneira no lançamento de novas culturas e atividades agrícolas desde a década de oitenta do século passado e continua a experimentar novas culturas.

Esta matriz experimental começou com o José Cerqueira, pai do Airton e continua com o filho. Empresas deste tipo são modelo na estratégia de desenvolvimento, quer no presente, quer no futuro, tem por base um emigrante que regressou à sua terra, investiu, aproveitou a formação que teve em França para inovar, juntou experiência da produção em Portugal com conhecimento do mercado francês e experiência de comércio internacional, com o seu desaparecimento precoce o negócio foi continuado e melhorado pelo filho e esposa.

Este negócio, produção e exportação de produtos agrícolas, e o seu sucesso é o resultado de alguém que acredita nas potencialidades do Portugal profundo, que retorna para trabalhar em Portugal e investe numa região muito deprimida (parte norte do concelho de Vila Verde) tendo o destino das produções voltado para o exterior, para os mercados internacionais. É preciso multiplicar este exemplo, motivar os emigrantes para desenvolverem as suas terras, seja por ação direta, seja por participação em fundos mobiliários com o objetivo de investirem e desenvolverem os seus concelhos. È preciso criar esta moda porque é o caminho de futuro, sem projetos e iniciativas de investimento no Interior de Portugal não há desenvolvimento económico forte e sustentável em Portugal.

Parabéns à Vida Rural por mostrar e divulgar este exemplo! É preciso mostrar os outros José e Airton Cerqueira que ex-emigrantes que investem nas agriculturas de Portugal e no comércio internacional dos seus produtos. 

Sem comentários: