O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Ruris promove negócios do futuro na Expo Gondomar


Admirável mundo novo
na agricultura portuguesa

Empresa Ruris divulga na Expo Gondomar, dias 27 e 28 de maio, as novidades tecnológicas ao serviço deste setor da economia

O que são colmeias inteligentes? Sabe que já se utilizam drones na agricultura? E o que é o empreendedorismo tecnológico? Como utilizar a Internet para melhorar o seu negócio agrícola?
Todas estas perguntas têm uma resposta. Basta ir à Expo Gondomar nos dias 27 e 28 de maio assistir às sessões promovidas pela Ruris, empresa especializada na implementação de estratégias de desenvolvimento local,  promoção de fileiras e empreendedorismo.
Trata-se de sessões de esclarecimento no âmbito de um “Programa para a Agricultura de Precisão”. E se também não sabe o que é a agricultura de precisão, o melhor é mesmo ir assistir aos debates.
Para isso, pode ficar a conhecer o programa completo e inscrever-se neste link http://ruris-expogondomar.inscricao.eu/. São novos negócios, novas soluções com recurso à tecnologia para a modernização da agricultura, novas ideias de negócio, produtos e serviços sobre agricultura de precisão.
É todo um mundo novo que chega à agricultura portuguesa. Depois de nos últimos anos a agricultura portuguesa ter sido o setor da economia que mais incorporou inovação nos projetos, investigação e valor acrescentado nos seus produtos, atingindo um patamar de excelência, agora promete novos desafios de modernização.
Estas novidades que trazem para o presente aquilo que se pensava só vir a acontecer no futuro, podem ser melhor apreendidas com a frequência do Curso de Introdução à Agricultura de Precisão, cujo orador é uma espécie de guru da robótica ao serviço da agricultura, o Prof. Doutor Ricardo Braga (Diretor da Agrobótica e Professor no ISA – Instituto Superior de Agronomia).

terça-feira, 17 de maio de 2016

EXPO GONDOMAR


Inscrições gratuitas:
http://ruris-expogondomar.inscricao.eu/

Agricultura de Precisão e Novas Tecnologias da Agricultura

Organização: Expo Gondomar e Ruris

Dia 27 de maio (6.ª feira)

10h00 - 13h00 – Empreendedorismo Tecnológico

Objetivo:
Apresentação de novos negócios / soluções com recurso à tecnologia para a modernização da agricultura

Oradores:
APiS TECHNOLOGY | Miguel Bento | Transforme qualquer colmeia numa colmeia inteligente
FIREMAP | Carlos Rajão | A inovação ao serviço da agricultura de precisão
Hubel | Margarida Mota | Soluções tecnológicas ao serviço da sua cultura
Itelmatis Control Systems | Jorge Luz | O futuro da gestão eficiente da rega - Novidades que trazem para o presente aquilo que se pensava só vir a acontecer no futuro
Phosphorland | Raul Pinheiro | Apresentação da empresa Phosphorland e demonstração do software de gestão agrícola Phorland
Spin.Works | Vasco Pimenta | Drones e agricultura de precisão
WiseCrop | Nuno Góis | WiseCrop - Uma solução integradora ao serviço da Agricultura
Zeben | Rui Amaral |



14h00 – 18h00 - Curso: Introdução à Agricultura de Precisão

Objetivo:
Dar a conhecer os objetivos da agricultura de precisão, estratégias de implementação, principais aplicações e tecnologias envolvidas através da apresentação de casos de estudo

Orador:
Prof. Doutor Ricardo Braga (Diretor da Agrobótica e Professor no ISA – Instituto Superior de Agronomia)

Haverá uma tolerância de 15 minutos para a entrada de participantes, isto é, após as 14h15 a entrada dos mesmos será interdita


Dia 28 de maio (sábado)

09h00 – 10h30 - “Pitch” para a Agricultura de Precisão

Objetivo:
Apresentação de ideias de negócio, produtos e/ou serviços, breves e objetivas, sobre agricultura de precisão

Oradores:
ÁREA400 | Paulo Pereira - Deteção Remota em Viticultura de Precisão
EVOX - 360waste | Hélio Silva| 360Waste – Plataforma integrada de gestão de recolha de resíduos
- Itelmatis Control Systems | Jorge Luz | Quase de certeza que a nossa tecnologia já tocou na sua vida e nem soube quando
MyFarm | Luís Luz | Plataforma online de adoção de agricultores
- Phosphorland | Raul Pinheiro | Apresentação das vantagens do uso de ferramentas informáticas e do software Phorland para a gestão das explorações agrícolas
Ruralbit | Manuel Silveira | Tecnologia para o Mundo Rural
- Spin.Works | Vasco Pimenta | Drones e agricultura de precisão
- WiseCrop | Tiago Sá | WiseCrop - Uma solução integradora ao serviço da Agricultura



10h45 - 12h30 – Mesa redonda “Novas Tecnologias aplicadas à Agricultura”

Objetivo:
Discussão entre especialistas e empresários da área agrícola sobre o impacto das novas tecnologias aplicadas à agricultura

Oradores:
Fernando Santos (UTAD)
Pedro Tereso (Agrosustentável)
Ricardo Braga (ISA)
Tadeu Alves (AgroInvest)


14h30 - 17h00 – Passos críticos do ciclo empreendedor

Momento 1 – Workshop para Empreendedores "Como Criar um Negócio Agrícola de Sucesso"
Objetivo:
Fornecer aos participantes meios para melhorarem as suas competências como empreendedores agrícolas de elevado potencial para o sucesso nos seus investimentos.

Orador:
Eng.º José Martino (CEO da consultora agrícola "Espaço Visual"; CEO da empresa de desenvolvimento rural "Ruris"; Empresário Agrícola; Blogger (josemartino.blogspot.pt); Colunista em diversos jornais generalistas, económicos e especializados em agricultura)

Momento 2 – Apresentação IVO - Investimento Validado Online
Objetivo:
Antes de lançar um novo projeto, o IVO analisa os números consigo e diz-lhe se vale mesmo a pena avançar com o negócio. A ideia de negócio não basta, é preciso saber se ela é mesmo viável! Só 1 em cada 3 novos negócios sobrevive até ao final do 3º ano. Gostava de saber se o seu é mesmo lucratIVO?
Orador:
David Mota (Founder do IVO – Investimento Validado Online)



Reserve o seu lugar!

Florestação rentável


"Sr. Engenheiro José Martino,

já há algum tempo que sigo o seu blog e gosto muito da forma simples e elucidativa com que esclarece as diversas questões propostas.
Eu estou a contacta-lo porque também eu tenho algumas questões que gostaria que fossem analisadas pelo Sr. Engenheiro José Martino.

Herdei 10 pequenas parcelas de terreno na Serra da Gardunha, que no total perfazem cerca de 9 ha. Neste sentido gostaria de saber o que fazer para rentabilizar o terreno? Algumas parcelas têm pinheiros que nasceram de forma desordenada, também existem castanheiros e muitos medronheiros. Queria uma reflorestação rentável e que não necessita-se de muita mão de obra uma vez que não tenho muito tempo disponível para esta atividade.

Cumprimentos,"


Comentários:
1. Deve pedir a um técnico especializado que visite as suas parcelas para determinar qual a espécie ou espécies florestais que deve promover nos seus terrenos. A Eng. Zita Pereira da Espaçlo Visual pode ajudá-la (924433205)

2. Apesar de ficar dependente de melhor opinião, creio que se tiver aptidão o pinheiro manso pode ser boa opção, assim como o castanheiro ou medronheiro  

Peço desculpa pelas questões que podem ser básicas ou até ridiculas.


"Boa tarde Eng Martino.
Conheci o seu blogue e fiquei agradado com as suas respostas e atenção para com as pessoas.
O meu nome é ... tenho 34 anos e farto da vida em cidade.
Neste momento estou a ponderar ir viver no campo e tentar manter  minha profissão actual mas a curto médio prazo viver apenas do meu terreno.
Ando em busca de um terreno com casa que possa servir de habitação permanente
As minhas duvidas estão relacionadas com a área de terreno que me aconselha a adquiri ou até mesmo o que aconselha para começar a produzir pois a minha experiência é nula e o que sei foi por iniciativa própria.
Sei que devo e quero frequentar um curso de formação
Outra questão é que eu não tenho ideia do valor necessário para criar um projecto rentável.
O meu sonho desde sempre foi viver no campo e ter um projecto rentável.
Gostaria mesmo muito de ter umas dicas e opinão de quem entende do assunto.
Peço desculpa pelas questões que podem ser básicas ou até ridiculas.
Cumprimentos"

Comentários:
1. Parece-me uma excelente oportunidade a estratégia que pretende implementar de se iniciar na agricultura mantendo a sua profissão atual até conseguir equilibrar a tesouraria do seu negócio agricola.

2. Aconselho-o a ter um terreno que possa ter a dimensão minima da economia de escala da atividade agricola a que dedicar (dimensão da exploração agricola que faz com que os custos fixos sejam mais baixos), embora deve começar por uma pequena dimensão e à medida que dominar a gestão da atividade, deve incrementar paulatinamente  a sua superfície. Para atividades muito intensivas deve ter, no minimo, 4-5 hetares, medianamente intensivas,8-10 ha e pouco intensivas 30 ha.

3. Irei animar um  workshop para Empreendedores Agricolas de Sucesso, na EXPO GONDOMAR, no próximo dia 28 de maio, sábado, pelas 14 h, o qual, recomendo que frequente para obter conhecimento como deve desenvolver o seu processo de empreendedorismo agricola e saber que formação deve frequentar.

4. Deve ter 20% de capitais próprios face ao investimento total, este varia com a intensidade da atividade.

5. Não existem perguntas básicas ou ridículas, apenas quem faz perguntas progride na escala do conhecimento. É inteligente perguntar para se aprender com base nas faturas que os outros que dedicam à agricultura já pagaram.      

domingo, 1 de maio de 2016

Alta produtividade em mirtilos

Boa tarde Eng. Martino

Vi o seu comentario sobre a rentabilidade da producao de mirtilo. 

A minha questao e: qual o processo para alcancar esses niveis de produtividade? Tenho uma propriedade q adquiri recentemente e claro esta , tenho intencao de a rentabilizar ao maximo.

Grato por um feedback

Comentários:
1. A alta produtividade em mirtilos consegue-se  com colocar a cultura no sítio certo, quer quanto a clima e solo (caso este não possua aptidão pode-se optar pela cultura em vaso).

2. Fazer uma boa preparação de terreno para garantir excelente drenagem, nutrição adequada à cultura na fase de implantação, seja ao nível das correçoes de pH, matéria orgânica, fósforo, potássio e magnésio.

3. Instale um bom sistema de rega automático, bem como o sistema de fertirrigação, tenha controlo, se possivel automáticoa, para a eletroccondutividade e pH.

4. Compre boas plantas: bem desenvolvidas e isentas de problemas sanitários.

5. Após a plantação cuide bem das plantas, quer seja ao nível da fertilização, rega, controlo de infestantes, etc.

6. Contate os serviços técnicos da Espaço Visual (Eng. Sónia Moreira 917 075 852)

Gostaria de ter os seus esclarecimentos visionários

Boa tarde José Martino,

Tudo bem? Conheci e li o seu blog, pude verificar a sua vasta experiência.

Na possibilidade de um retorno desse e-mail gostaria de seus esclarecimentos visionários com relação à profissão de Engenheiro Agrônomo e a enorme área de atuação. Moro em Luís Eduardo Magalhães- Bahia, onde resido a 7 anos, formei em Agronomia a 1 ano e meu esposo é produtor rural aqui, no momento devido ao que vem acontecendo na economia brasileira as vagas de trabalho estão escassas, preferindo-se assim ao profissional que possui mais experiencia em carteira.

Devido a esse cenário, e ao desejo atual de trabalhar na área que escolhi e tanto amo, surgiu-me a ideia de abrir um escritório  em sociedade com uma amigo Eng. Agrônomo e filho de produtor, e uma amiga Eng. ambiental.

Agora precisamos estudar o mercado regional e o que condiz com a atual situação para saber a viabilidade da nossa ideia. Gostaria de saber a sua opinião, e se conhece alguma empresa que faça estudo de mercado, para facilitar e aumentar a nossa visão.

Comentários:
1. Felicito-a por ter escolhido a mesma profissão que eu exerço, agronomia, atividade muito díficil na fase de lançamento do negócio da consultoria, mas pelo contrário, muito estimulante e motivadora para quem for capaz de dominar e controlar os pormenores técnicos das atividades agricolas e pecuárias. Por isso, dou-lhe os meus parabéns por se ter lançado no negócio da agricultura. Bem vinda ao clube dos agrónomos que exercem a sua profissão em prol da agricultura e do desenvolvimento rural.

2 . O estudo do mercado regional terá de ser feito pelos sócios do escritório com o objectivo de dominarem a mais valia do fundo comercial que adquirirem nesse processo. É muito importante conhecerem os players na área geográfica de intervenção da Vossa empresa.

3. Os 2- 3 primeiros anos irão correr mal, mas por favor não desista, avalie o que é preciso melhorar e vá em frente, faça em cada dia melhor que no dia anterior, mesmo que tenha de chorar pelos erros cometidos, recomece com coragem e  nova alma. Tenho a certeza que irá ter muito sucesso pessoal e empresarial. Boa sorte!      

O que cultivar em 6 hectares de terreno agricola em Estremoz?

"Boa tarde!
A minha questão prende-se com qual na sua opinião a melhor viabilidade para explorar 6ha de terreno agrícola em Estremoz, sendo que o terreno não tem muita agua, segundo empresas de sondagem de agua um furo a 120 metros poderia debitar 5 a 10mt3/hora.
Qual o tipo de plantação que se poderia enquadrar melhor?"

Comentários:
1. O furo pode debitar entre 120 m3 a 240 m3 por dia ou seja terá disponiveis 20 m3 a 40 m3 por dia e por hectare.

2. Do ponto de vista teórico, para os 6 ha poderia enquadrar-se: plantas aromáticas e medicinais, romãs, figos, figos da Índia, etc.

3. Para ter uma solução ajustada ao seu caso marque uma visita ao terreno do técnico da Espaço Visual, Benjamim Machado (924 433 183). 

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Business Angels Agricultura

"Boa Noite,

Eu estive a ver o seu site e gostaria de obter algumas informações ....
Quero ter um negócio de agricultura biológica mas ando á procura de investidor, Gostaria de saber se tem conhecimentos ou se me pode ajudar nesse sentido.

Aguardo contacto,

Cumprimentos,

Comentários:
1. A empresa Ruris (Rurisocietate, Lda) participa na qualidade de business angel de José Martino, no capital de sociedades cujo objeto seja a produção agricola nas seguintes condições:
a) Empresário de elevado potencial para o negócio agricola e para a sua gestão oepracional  (o interessado apresenta de candidatura  com apresentação de plano de negócios tendo como objetivo fazer-se a respetiva avaliação).
b) Participa no capital social da sociedade por quotas com o jovem agricultor ou não jovem agricultor (único: só aceita fazer parte de sociedades com uma única pessoa individual).
c) Aporta conhecimento técnico e de gestão.
d) Facilita o acesso a outros meios de financiamento. 
e) Os esclarecimentos e candidaturas devem ser apresentadas junto da Diretora da Ruris, Dra. Sofia Freitas (sofia.freitas@ruris.pt; 962 039 850).  

2. Existem ao longo do território nacional, clubes de business angels que são formas alternativas de encontrar investidores para o seu negócio na produção agricola.  

terça-feira, 19 de abril de 2016

No meu caso, com 44 anos, com que ajudas posso contar para iniciar uma pequena produção agrícola?

Boa tarde, 

Conheci hoje este blog que me parece bastante elucidativo, quanto às dúvidas relacionadas com a agricultura. 

Herdei recentemente algumas terras e pretendo rentabilizar as mesmas. Até agora as terras eram ocupadas por uma agricultura tradicional (milho; batata, legumes, etc.), no entanto em minha opinião o mercado está saturado deste tipo de culturas e as existentes são feitas quase que em regime latifundiário. 

Assim o que pretendo é apostar em novas produções, apostar em frutas que não sendo nativas poderão perfeitamente adaptar-se ao n/ clima. Portugal conta com uma gastronomia cada vez mais inovadora, aberta a novos temperos e sabores, por isso creio que será uma boa aposta.

No entanto, após procura de informação compreendi que quem tem mais de 40 anos (44 no meu caso) já não é apto a investimento. Assim coloco a seguinte questão. No meu caso, com 44 anos, com que ajudas posso contar (se existirem) para iniciar uma pequena (espero que apenas no começo) produção agrária?

Comentários:
1- Pode conseguir ajudas aos pequenos investimentos de 5000 euros a 25 000 euros de investimento elegivel (há afirmações públicas do Sr. Ministro da Agricultura que este limite irá ser alargado para 40 000 euros). Os apoios serão concedidos através  de incentivos não reembolsáveis no valor de 50% do investimento elegivel, exceto na região de Lisboa e Vale do Tejo ou Algarve cujos apoios descem 10%, para 40%.

2- Para investimentos superiores a 25 000 euros (ou no futuro superiores a 40 000 euros) pode obter até 50%  ou 40% de apoio, através de subsídio não reembolsável, conforme a parcela se situe em região desfavorável ou favorável (Lisboa e Vale do Tejo ou Algarve).  

terça-feira, 12 de abril de 2016

Fileira dos Pequenos Frutos

Secretário de Estado da Agricultura visita Bfruit
|Organização de produtores de pequenos frutos quer penetrar no Dubai e na China|

O Secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Vieira, vai visitar as instalações da Bfruit, uma organização de produtores de pequenos frutos, formada em 2013, com sede em Moreira de Cónegos.
Esta visita, que se realiza no próximo dia 16, sábado, pelas 12 horas, tem como pano de fundo um périplo que este governante irá realizar pela zona Norte para tomar contato com a produção e comercialização dos pequenos frutos.
Luís Vieira irá, assim, encontrar-se com produtores de pequenos frutos e visitar o Entreposto de frio da Bfruit, no que será acompanhado por Fernanda Machado, presidente do Conselho de Administração da empresa, e José Martino, presidente da Assembleia Geral.
A Bfruit conta com mais de 100 produtores de pequenos frutos, que auxilia durante as fases de produção e comercialização, exportando mais de 90% da produção (mirtilos, amoras, framboesas, groselhas, morangos e kiwis) para a Holanda, Bélgica, Alemanha, França e Brasil. 
A Bfruit, que recentemente celebrou uma parceria com a empresa multinacional Multiberry, passou a ser uma das maiores organizações de produtores de pequenos frutos a nível nacional, e quer chegar a novos mercados, como o Dubai ou a China.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Alimentação animal

"Boa noite. 

Encontro-me na mesma situação e gostaria que 3 questão fosse mais aprofundada pois gostaria de me candidatar a um projeto jovem agricultor de cabras malagunhas, cerca de 400 cabeças no entanto so tenho a área do estabulo e nao sei se tendo custos totais no que diz respeito à alimentação dos caprinos, existe possi ilidade de ter um projeto aceite. 

Cumprimentos"


Comentários:
1. Para um projeto pecuário ter coerência técnica deve possuir na sua base a produção de alimentos para os animais na exploração agricola, ou seja, tem que possuir terra agricola que seja utilizada com esse objetivo.

2. Os custos com a compra da alimentação animal no exterior da exploração devem ser marginais face aos custos totais de produção.   

Gestão agricola

"Falta chegar Gestores as empresas agricolas, sera necessario captar nas universidades, pessoas e na economia gestores que percebam ou queiram perceber as agriculturas. 

Noto que o setor do leite e carnes vermelhas e muito fragmentado, falta de escala, tomador de preco e de custos de contexto e de mercado. Aqui so mesmo agrupar para escala, mais facil dizer que fazer. As novas, agriculturas precisam de nocao de fileira e escala"

Comentários:
1. Creio que pouco a pouco, de forma paulatina, os gestores estão a entrar na agricultura porque ela está mais atrativa, gera maior sucesso e interesse nos meios de comunicação social.

2. Que tipo de escala falta ao leite? Na minha opinião o leite tem escala, falta competividade porque é aplicado um modelo técnico assente em custos de produção muito elevado seja for forte incorporação de concentrado/ração na alimentação dos animais, seja por uma utlização elevada da mecanização, etc. por outro lado falta valor acrescentado no segmento dos laticinios onde se incorpora a maior quantidade do leite produzido em Portugal. 

3. Na produção de carnes vermelhas falta escala para tirar o maior partido das forragens e demais alimentos produzidos na exploração.

4. Concordo que as novas agriculturas devem incorporar na respetiva massa critica os objetivos estratégicos tendo por base "a noção de fileira e escala"     

Baby kiwi

"É mais um pedido. que tempo demora o baby kiwi a dar frutos.? não encontro este dado em nenhum lado pf.responda para ....@gmail.com"

Comentários:
1. Informo uma vez mais que não respondo através de e-amil porque não tenho tempo para as solicitações que me são colocadas diariamente.

2. Respondo neste blogue aos pedidos de resposta que me são colocados segundo as regras que nele constam no critério editorial.

3. O baby kiwi demora 3 anos a entrar em produção.

Que atividades agícolas escolher para 1 ha de terra em Portalegre?

"Boa tarde Sr. Eng. Martino


Peço imensa desculpa de o incomodar, mas como tenho visto que tem ajudado e esclarecido muitos jovens pensei em contacta-lo na esperança que também me possa ajudar...

O meu nome é ..., e sou natural de Portalegre, Alentejo onde resido, tenho um terreno com cerca de 1 ha com muita água e gostaria de saber qual a sua opinião de negócio para poder rentabilizar o terreno, já me falaram em estufa de ervas aromáticas, pequenos legumes como a couve de Bruxelas as mini cenouras, etc... mas como não estou dentro desses assuntos gostaria de ter uma opinião de alguém com verdadeiro conhecimento de causa.


Desde já agradecido, e parabéns pelo seu blog e excelente trabalho em prol da agricultura Portuguesa.


Com os melhores cumprimentos"

Comentários:
1. Consulte neste blogue o post "O que fazer?". Tenho dúvidas se haverá condições climáticas em Portalegre que suporte a melhor aptidão para essas atividades agricolas.

2.  Não conheço o solo e clima do seu terreno para lhe dar uma opinião válida sobre a melhor opção de atividade agricola.

3. Deve ponderar previamento o canal de escoamento e valorização das suas produções e a que distância fica o ponto de entrega logística das produções para saber quanto lhe vai custar o transporte.

4. Avalie o seu perfil e vocação para atividades intensivas a colocar no seu hectare de terra.