O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


sexta-feira, 20 de junho de 2008

Kiwi, uma fileira estratégica

Conclusões da Sessão de Esclarecimento organizada pela Associação Portuguesa de Kiwicultores (APK), com a participação da Espaço Visual e da Agrogarante:

- Em Portugal, o Kiwi é uma fileira estratégica a nível nacional, a qual, é prioritária a nível da Região Norte e Centro e como tal vai ser fortemente apoiada através do Programa de Desenvolvimento Rural (PRODER).

- Trata-se de uma fileira rentável com muito interesse sobretudo ao nível da produção dos kiwis por ter provado ser excelente negócio para os kiwicultores já instalados e para os novos que, recentemente, se dedicam a esta actividade.

- É uma fileira exportadora da qual a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte faz uma aposta forte por ser competitiva e estar em fase de forte crescimento.

- A Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte assume um papel fundamental na avaliação e aprovação dos projectos de apoio ao investimento, tendo o Senhor Director Regional de Agricultura e Pescas do Norte, Arq. Carlos Guerra, assumido o compromisso de defender as candidaturas da fileira do kiwi junto da Unidade de Gestão, em Lisboa, no Gabinete de Planeamento e Políticas

- A Arogarante, sociedade de garantia mútua formada entre o Estado, a banca e os produtores aprovou uma linha de crédito, complementar às ajudas do PRODER, para apoio às novas plantações e reconversões de pomares de kiwi, tendo o valor de 16 milhões de euros.

- A APK recomenda que a instalação de novos kiwicultores se faça com explorações de superfície superior aos 4 hectares, como forma de garantir uma maior profissionalização da actividade porque esta dimensão da actividade justifica um trabalhador a tempo inteiro.

- Os apoios ao investimento veiculados pelo PRODER, no presente concurso de candidaturas, o qual termina a 25 de Julho, são dados através de subsídios a fundo perdido tendo o valor médio de 40% do investimento elegível.

- Nas candidaturas actuais o Governo obriga a maior rigor que nos projectos do III Quadro Comunitário de Apoio (QCA), sendo obrigatório o estrito cumprimento da legislação em vigor para obter aprovação da candidatura.