Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2016

APOIOS PÚBLICOS AOS INVESTIMENTOS NAS EXPLORAÇÕES AGRÍCOLAS (ATÉ 31 MARÇO DE 2017 – 19H)

TIPO DE APOIO O investimento máximo elegível, por beneficiário, é de 5 milhões €. O apoio é atribuído sobre a forma de: Subsídio não reembolsável (vulgo “subsídio”)....                                                                                                                                                                                                                                                     continuar a ler em  http://www.espaco-visual.pt/apoios-p%C3%BAblicos-aos-investimentos-nas-explora%C3%A7%C3%B5es-agr%C3%ADcolas-at%C3%A9-31-mar%C3%A7o-de-2017-%E2%80%93-19h
NOTA: O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.

FLORESTA

A floresta portuguesa do continente ocupa 3,15 milhões de hectares em 2010 segundo o inventário florestal (35,4% do território continental), com a seguinte distribuição:

Espécie      Área(ha)
Pinheiro bravo 714400 Eucalipto 811900 Sobreiro 736800 Azinheira 331200 Carvalho 67100 Pinheiro manso 175700 Castanheiro 41400 Folhosas diversas 177800 Resinosas diversas 73200 Outras espécies 24500 Total 3154000



É recomendável que a floresta suba a superfície onde há maior probabilidade de elevada produtividade potencial das plantas lenhosas para abastecer os clusters industriais.
Há que ter em conta que 18,7% das florestas do continente está integrada na rede de áreas protegidas e 23% da área de floresta nacional está incluída na Rede Natura 2000. Em Portugal predominam 4 tipos de florestas:
1- Montado
2- Floresta plantada com espécies autóctones para a produção de madeira, pinheiro bravo
3 – Silvicultura intensiva, talhadia em rotações curtas, exóticas, exemplo, eucalipto ou espécies nativas c…

Limão

Os preços elevados do limão em 2016 devem-se há falta da produção de 300 000 toneladas em Espanha e Itália devido ao efeito da doença da Mancha Negra (ou Pinta Negra) face a 1 700 000 toneladas de consumo no mercado europeu. Por outro lado, o aumento dos preços no mercado foi acelerado porque houve o atraso de 1 mês na chegada do limão argentino.
Há plantações e produção em Portugal para abastecer o mercado nacional,... 
Continuar a ler em .... http://www.espaco-visual.pt/dicas

Maracujá

"Bom dia Srº Eng. José Martino.
Venho mais uma vez pedir informações e os seus conselhos na minha preparação de jovem agricultor. Tenho submetido um projeto no PDR2020 para uma exploração de Maracujás. Com o objetivo de me tornar um jovem agricultor bem sucedido tenho participado em workshops, ações de formação, etc. e o que tenho vindo a reparar é que sempre que tento visitar uma exploração produtora de maracujás os proprietários não querem divulgar/partilhar o seu conhecimento. E por pena minha esta mentalidade fechada e retrograda  ainda existe no sector agrícola nacional. Interrogo assim se tem conhecimento de uma exploração na Zona Centro onde os proprietários estão disponíveis, dentro do seu tempo disponível claro, e tenham vontade em receber visitas e partilhar conhecimento com os jovens agricultores que tentam fazer vida na área.


Cumprimentos"
Comentários: 1 - Será que já fez o número elevado de tentativas para visitas que lhe teriam permitido encontrar …

LIMÃO - UM NEGÓCIO COM POTENCIAL

A Frutoeste e a Espaço Visual promovem amanhã uma Sessão Pública sobre “A Organização dos Produtores na Fileira do Limão” com o objetivo de esclarecer os produtores de limão e os potenciais novos produtores acerca do estado da arte e o próximo futuro quer na produção, quer na comercialização e exportação.
Programa Espaço Visual, Gondomar, 2016.12.03
9h30 Receção e boas vindas                José Martino – Espaço Visual
9h45  A produção e a comercialização de limões.                A mais-valia da Organização de Produtores “Frutoeste”                 Domingos Santos - Frutoeste
10h15 Debate
11h30 Visita a uma plantação de limoeiros Vila do Conde
12h00 Fim do Evento

Dificuldades na helicicultura

"Bom dia Engº,
Há cerca de 3 anos iniciei com 2000m2 de estufas para criação de caracóis, o projecto foi financiado parcialmente pelo Proder.
Acontece que actualmente o preço de venda dos caracóis já desceu para 1/3 , ainda esta semana ofereceram 1€/kg, o que é impensável pois nem paga o trabalho da apanha,  dizem os vendedores que há excesso de criação daí os preços estarem assim.
Quando entreguei o projecto para aprovação, entre os vários documentos entreguei também um contrato de escoamento com uma empresa a 3.7€/kg e como uma garantia de produção de 8 ton/ano. Essa empresa que fez o contrato não aceita caracol há mais de um ano, bem como o máximo que consegui produzir foi 3 a 4 ton/ano.
Resumindo, não conseguimos vender a nossa produção total, e o que vendemos é a um preço muito baixo. Eu e o meu sócio temos de andar a pôr dinheiro pessoal para pagar o empréstimo, farinha, luz, etc.
O projecto foi de 5 anos, ainda faltam 2 anos. Há alguma forma de cancelarmos o proj…

Parecer sobre investimentos e a sua rentabilidade a curto e longo prazo.

Boa tarde sr Engº José Martino Visito regularmente o seu blog e penso que o Sr é a pessoa certa para me esclarecer acerca de um projeto que gostaria de submeter. Em 2015 submeti um projeto PDR2020 de cogumelos shiitake em troncos mas, por falta de viabilidade, (ou por erro do engº que o submeteu) veio indeferido em setembro 2016. Agora estou muito confuso, pois gostaria de me lançar com outro projeto mas certamente que shiitake não será opção. Será que o cogumelo branco/paris é viável? Também é aliciante para mim a ideia de produzir mirtilo ou morango. Mas já há tantos produtores... Qualquer produção que eu faça terá de ser em estufa devido ao terreno ser pequeno - 3800m2. Gostaria que me deixasse o seu parecer sobre estes investimentos e a sua rentabilidade a curto e longo prazo.

Comentários:
1 - Analise quem estando mais perto da sua exploraçao lhe pode valorizar as suas potenciais produções colocando-os no mercado.

2 - Verifique os "ossos de ofício" que cada um…