O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quarta-feira, 30 de abril de 2014

ProDer vs PDR (2014/2020): arrancam sexta-feira as sessões de esclarecimento em Beja, Évora e Castelo Branco

É já na sexta-feira, 2 de maio, que arrancam as sessões de esclarecimento em Beja, Évora e Castelo Branco sobre as diferenças entre o ProDer e o novo PDR (2014/2020), conforme o programa que se junta. Os interessados podem inscrever-se gratuitamente no site da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt). Os jovens agricultores que pretendem instalar-se devem manter-se informados sobre estas questões, fulcrais para a candidatura do projecto de instalação e para o sucesso futuro do mesmo. Foi gratificante perceber que quem quer candidatar um projecto agrícola aderiu em força às sessões de esclarecimento que organizamos no passado mês de março em Faro, Setúbal e Lisboa. Não perca esta oportunidade e compareça, com as suas dúvidas e preocupações. Estaremos lá para os ajudar e esclarecer!


Beja, 2 de maio
Local: BejaParque Hotel
Rua Francisco Miguel Duarte, 1 7800-510 Beja - Portugal
Programa
18h00 – Projectos de Investimento: ProDer / PDR (2014-2020)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
18h45 – Contabilidade e Gestão nas Empresas Agrícolas
Ricardo Gonçalves (Responsável do Departamento de Contabilidade e Gestão da Espaço Visual)
19h15 – Mirtilos – Investimento Produtivo (O exemplo do estado do Oregon, Estados Unidos)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
19h45 – Apresentação da Bfruit – Organização de Produtores de Pequenos Frutos
Fernanda Machado (Presidente do Conselho de Administração da Bfruit)

Évora, 3 de maio
Local: Hotel Dom Fernando
Avenida Doutor Francisco Barahona, 2
Programa
10h00 – Projectos de Investimento: ProDer / PDR (2014-2020)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
10h45 – Contabilidade e Gestão nas Empresas Agrícolas
Ricardo Gonçalves (Responsável do Departamento de Contabilidade e Gestão da Espaço Visual)
11h15 – Mirtilos – Investimento Produtivo (O exemplo do estado do Oregon, Estados Unidos)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
11h45 – Apresentação da Bfruit – Organização de Produtores de Pequenos Frutos
Fernanda Machado (Presidente do Conselho de Administração da Bfruit)

Castelo Branco, 3 de maio
Local: Hotel Tryp Colina do Castelo
Rua da Piscina
Programa
15h00 – Projectos de Investimento: ProDer / PDR (2014-2020)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
15h45 – Contabilidade e Gestão nas Empresas Agrícolas
Ricardo Gonçalves (Responsável do Departamento de Contabilidade e Gestão da Espaço Visual)
16h15 – Mirtilos – Investimento Produtivo (O exemplo do estado do Oregon, Estados Unidos)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
16h45 – Apresentação da Bfruit – Organização de Produtores de Pequenos Frutos
Fernanda Machado (Presidente do Conselho de Administração da Bfruit)

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Espaço Visual presente na Ovibeja


A Espaço Visual (www.espaco-visual.pt), vai estar presente com um stand próprio na 31ª edição da Ovibeja, que tem lugar em Beja, nos próximos dias 30 de abril a 4 de maio. Esta empresa de consultoria agrícola vai inaugurar a sua delegação em Beja, estando já a funcionar com novas instalações junto de entidades públicas e privadas, apresentando soluções para os jovens agricultores e investidores agrícolas que queiram aproveitar as oportunidades que o projecto do Alqueva pode trazer à região do Alentejo e ao Sul do país. A Ovibeja é uma feira agrícola, com uma enorme e prestigiada história no desenvolvimento rural do Alentejo e do país. Este evento alia a área da produção, da transformação, dos serviços, e é ainda uma mostra institucional e um centro de negócios. 

quinta-feira, 24 de abril de 2014

ProDer vs PDR: sessões de esclarecimento em Beja, Évora e Castelo Branco


A Espaço Visual, empresa de consultoria agrícola, vai levar a efeito nos dias 2 e 3 de maio sessões de esclarecimento em Beja, Évora e Castelo Branco, conforme programa que se junta. A empresa já realizou sessões de esclarecimento em Faro, Setúbal e Lisboa, que tiveram uma grande adesão, e propõe-se realizar iniciativas idênticas em todas as capitais de distrito. Os interessados devem inscrever-se através de preenchimento do formulário próprio para cada uma das sessões, no site da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt). A inscrições são gratuitas. Participe!

Beja, 2 de maio
Local: BejaParque Hotel
Rua Francisco Miguel Duarte, 1 7800-510 Beja - Portugal
Programa
18h00 – Projectos de Investimento: ProDer / PDR (2014-2020)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
18h45 – Contabilidade e Gestão nas Empresas Agrícolas
Ricardo Gonçalves (Responsável do Departamento de Contabilidade e Gestão da Espaço Visual)
19h15 – Mirtilos – Investimento Produtivo (O exemplo do estado do Oregon, Estados Unidos)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
19h45 – Apresentação da Bfruit – Organização de Produtores de Pequenos Frutos
Fernanda Machado (Presidente do Conselho de Administração da Bfruit)

Évora, 3 de maio
Local: Hotel Dom Fernando
Avenida Doutor Francisco Barahona, 2
Programa
10h00 – Projectos de Investimento: ProDer / PDR (2014-2020)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
10h45 – Contabilidade e Gestão nas Empresas Agrícolas
Ricardo Gonçalves (Responsável do Departamento de Contabilidade e Gestão da Espaço Visual)
11h15 – Mirtilos – Investimento Produtivo (O exemplo do estado do Oregon, Estados Unidos)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
11h45 – Apresentação da Bfruit – Organização de Produtores de Pequenos Frutos
Fernanda Machado (Presidente do Conselho de Administração da Bfruit)

Castelo Branco, 3 de maio
Local: Hotel Tryp Colina do Castelo
Rua da Piscina
Programa
15h00 – Projectos de Investimento: ProDer / PDR (2014-2020)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
15h45 – Contabilidade e Gestão nas Empresas Agrícolas
Ricardo Gonçalves (Responsável do Departamento de Contabilidade e Gestão da Espaço Visual)
16h15 – Mirtilos – Investimento Produtivo (O exemplo do estado do Oregon, Estados Unidos)
José Martino (CEO da Espaço Visual)
16h45 – Apresentação da Bfruit – Organização de Produtores de Pequenos Frutos
Fernanda Machado (Presidente do Conselho de Administração da Bfruit)

segunda-feira, 21 de abril de 2014

PDR e ProDer

Nuno Pires disse...

Peço desculpa pela minha confusão, mas PDR = PRODER? Estou neste momento a iniciar um negócio na área dos pequenos frutos e tenho estado bastante atento ao seu blog e esclarecimentos, contudo as informações que li neste seu último post não vão muito ao encontro do que me é comunicado. Contudo, vejo  que as suas explicações, conclusões e respostas são bem mais esclarecedoras que as informações que obti. Obrigado

Resposta:

Não, não é a mesma coisa. PDR – Plano de Desenvolvimento Rural 2014/2020; ProDer – Plano de Desenvolvimento Rural 2007/2013.

Arrendamento de terra

Ana Santos disse…

Boa noite, estou a pensar iniciar um projeto de cultura de morangos em estufa e, neste momento, estou a procurar terreno para alugar. Será que me podia informar por onde ronda o valor do arrendamento anual por hectare? Obrigada.

Resposta:

Entre 100 € e 1.500 € (hectare/ano). Este valor varia em função dos investimentos necessários em infraestruturas (fundiárias e construções).

Reconversão de vinhas

Vítor disse…

Bom dia, sr.  Eng José Martino. Antes de mais, gostaria de dar-lhe os parabéns pelo blog. Sou filho de uma viticultora que há cerca de 3 anos recorreu ao programa VITIS para reestruturação de cerca de 5 ha de vinha. Gostaria de saber se é possível  fazer uma candidatura jovem agricultor em meu nome em sociedade com a minha mãe (eu tenho 27 anos, ela tem 59) para um projeto de mais 5 ou 6 ha de vinha (já não temos mais direitos para a reestruturação), de forma a ampliar a produção? Será também possível incluir neste projeto equipamento agrícola, nomeadamente um tractor  de 50 a 60 cv (o que possuímos tem mais de 35 anos) com escarificador, atomizador um intercepas e uma pré-podadora ( incluiria estes dois últimos itens pois na aldeia onde se encontra a exploração - Trás-Os-Montes- não há ninguém que possua estes equipamentos o que permitiria rentabilizar o tractor e as alfaias ao efectuar trabalhos para outras explorações, pois há muita vinha. Acha que seria viável e quais as ajudas em PRODER/NOVO PDR?

Resposta:

As vinhas são elegíveis no VITIS e não no ProDer. Com 10 há pode instalar-se como jovem agricultor, tendo o projecto de investimento na mecanização de ser avaliado (ser for um valor elevado, pode não ser rentável). O tractor não pode prestar trabalhos para outros.

Pêra abacate e o kiwi

Pedro Dias disse…

Bom dia, e antes de mais muito obrigado por este "serviço" que presta gratuitamente a todos os interessados! Gostaria de saber se a pêra abacate é uma cultura viável na zona da Bairrada, tal como o kiwi, por exemplo? E se existe procura para este fruto, e algum tipo de apoio?

Resposta:

A Bairrada não parece ser zona com aptidão. Mas conheço um caso que tem dado resultados positivos. Há procura para esse tipo de fruto, sobretudo para exportação para Espanha.

Estágios em helicicultura

Simão disse…

Boa tarde.  Não sei se estou a escrever no sítio certo, se não estiver peço desde já desculpa. Sou um potencial interessado em helicicultura gostava de saber qual a sua opinião acerca deste tema? Vantagens e desvantagens? Também gostava de saber o que fazer para ser informado de quando existe alguma formação na área. Cumprimentos,

Resposta:

Pode ir acompanhando a informação colocada no site da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt) sobre os estágios formativos em helicicultura. É uma actividade com potencial, algum mercado a Sul e para exportação.

Pequeno investimento em marmelos

Ricardo Santos disse…

Boa tarde. Tenho uma pequena exploração agrícola em Viseu (1,5ha), com terrenos agrícolas (metade da exploração e florestal). Gostaria de saber se o investimento em marmeleiros (espécie que se adapta muito bem no local) é a considerar, sendo que pretendo considerar um pequeno investimento enquanto jovem agricultor, mas como actividade acessória (nesta fase, pois poderei vir a adquirir mais terrenos contíguos)? Gostaria também de saber se essa espécie é considerada em apoios? Cumprimentos,

Resposta:

O aspecto a considerar é a comercialização. Desde que tenha quem compre os marmelos… Quanto à segunda questão, creio que deve ter maior dimensão de exploração para conseguir instalar-se como jovem agricultor. Para a superfície indicada pode ter apoios na ação 1.1.2 (pequenos investimentos até 25 000 euros, pode obter 50% de ajuda ao investimento).  

Cultura de kiwis

Elisabete Santos disse…

Olá boa tarde, tenho andado a pensar na plantação de kiwis, mas sou da cidade da Guarda. Acha que sendo uma zona fria, é adequada para a cultura de kiwis? E por onde posso começar em questões burocráticas e de ajudas? Obrigado pela atenção.

Resposta:

Não é zona com aptidão porque o kiwi não tolera temperaturas elevadas no Verão e baixa humidade atmosféricas e, na Primavera, as geadas.

Comercializar chuchu

Nuno Moreira disse…

Boa noite. Chamo-me Nuno Moreira e quero arrendar um terreno de 3 hectares na zona de Penafiel onde pretendo cultivar chuchu. Acha que é uma actividade com potencial? Quais serão os custos de produção e implementação? Como comercializar as produções? Será que é possível o chuchuzeiro produzir durante todo ou durante uma boa parte do ano? Grato pela atenção. Cumprimentos,

Resposta:

Um conselho: fale com a Bfruit sobre a comercialização (www.bfruit.pt).

Plantação de physalis

Telma Faustino disse…

Boa noite. Penso iniciar a plantação de physalis apesar de não ter nenhuma experiência em agricultura de uma forma prática, mas cresci num meio onde existe bastante agricultura e os meus avós toda a vida trabalharam na agricultura. Esta ideia surgiu da vontade de rentabilizar os recursos que tenho, terreno. Mas neste reside a minha maior dúvida se o meu terreno será bom para a plantação que pretendo, pois é terreno de barro, muito seco de Verão e bastante húmido de Inverno. Gostava que me indicasse, se possível, por onde devo começar a minha pesquisa para verificar se este meu projeto é viável e como o posso tornar realidade? Agradeço a atenção. Obrigada.

Resposta:

1º: ver se existe hipótese de comercializar o produto, porque me parece que é um mercado restrito e específico. Tem de trabalhar com operadores comerciais especializados. 2º - levar um técnico que verifique se o terreno que possui tem aptidão para a cultura. Parece-me que pelo exposto, terreno barrento, não terá aptidão para a cultura.

Instalação de jovem agricultor VII

Pedro Pinto disse…

Boa noite Engº José Martino. Estava a pensar fazer uma candidatura a uma instalação como jovem agricultor no âmbito do Proder, em framboesa. Gostaria de saber se numa área de 0,5 ha o projeto será viável? Ou se não, que outro tipo de cultura para aquela área? Com os melhores cumprimentos.

Resposta:

A viabilidade absoluta depende dos valores do investimento e do tipo de tecnologia empregue. Para a área indicada, devia ser calculada para esse caso específico. Parece uma área limitada para a instalação de jovem agricultor, pelo que a médio prazo pode haver problemas. Por estas razões, tenho dificuldade em indicar actividades alternativas, embora me pareça que o morango em estufa e hidroponia poderiam ser uma solução.

As faturas pró-forma

Carlos Machado disse…

Boa noite, engº. Gostaria de fazer uma pergunta: as faturas pró-forma possuem validade? Esta validade é meramente indicativa ou terá que garantir a validade até aprovação do projeto?

Resposta:

As faturas pró-forma destinam-se a explicitar os pormenores ou itens de investimento, respectivas quantidades e valores unitários. A validade não é relevante, porque como a inflação é baixa, praticamente são inexistentes as variações de valor ao longo do tempo. Os analistas do ProDer pedem explicações de pormenores ou actualizações deste tipo de documentos.

Candidaturas à reconversão de vinhas

Cristina Francisquinho disse…

Boa tarde, em relação às novas candidaturas VITIS - Apoio à reestruturação e reconversão de vinhas, o processo de candidatura pode ser realizado pelo próprio produtor? Naturalmente sendo este detentor de NIFAP? Obrigada.

Resposta

Todas as candidaturas podem ser realizadas pelo próprio produtor. No entanto, os projectistas aportam conhecimento técnico e estratégico, que advém da experiência de trabalho com muitos casos, bem como conhecimento específico de pormenores da burocracia, que se não forem tratados de forma atempada e eficaz comprometem as candidaturas.

Plano de Negócios para candidatar apoios ao ProDer

Gonçalo Silva disse…

Boa tarde. Antes de mais, gostaria de o felicitar pelo blog. Eu tenho uns três terrenos com cerca de 2 mil hectares cada e estava a pensar criar um negócio com o meu irmão, porque tínhamos muito o apoio da família para nos ajudar. Na zona de Coimbra qual é que lhe parece que seja o negócio ou o projeto mais rentável e que se adapte melhor ao terreno? Os terrenos podem ser separados como é o meu caso, mas estar tudo no mesmo projeto ou teria mais vantagens em criar um e o meu irmão criar outro noutro terreno? Desde já o meu obrigado. Cumprimentos,

Resposta

Com 2 mil hectares, recomendaria que fizesse um Plano de Negócios e que identificasse a actividade e a melhor estratégia de candidatar apoios ao ProDer.

Ajudas no IRS

Heitor Afonso disse…

Os meus pais dedicam-se à agricultura. Ambos fazem candidaturas e recebem subsídios anuais do Proder. Como os subsídios tem que ser declarados na folha de IRS e apenas o meu pai está colectado, a minha mãe terá que deixar de poder fazer candidatura a esses subsídios ou poderá continuar? Obrigado.

Resposta

Deve consultar um contabilista (a Espaço Visual dá apoio ao nível da contabilidade agrícola - Sónia Moreira (917075852). Assim, diria que o melhor era a sua mãe colectar-se para obter regime de isenção de IRS.

Investir em mirtilos

João Marques disse…

Boa tarde Eng.º José Martino, Desde já os meus parabéns pelo blog e por todas estas informações que tem disponíveis a quem queira realmente trabalhar e investir na agricultura. Sou da zona de Leiria, e tenho um terreno com cerca de 2000m2. Ando a pensar há algum tempo em investir numa cultura de mirtilos. Sei que a zona por excelência desta cultura situa-se em Sever do Vouga. Acha que existe viabilidade neste tipo de cultura na nossa zona? Sei que os apoios do PRODER são utilizados quando possuímos terrenos de no mínimo 1ha. Não existem outros apoios para terrenos com áreas inferiores? Obrigado e continuação de bom trabalho.

Resposta

Solos ácidos (pH 5), bem drenados e não argilosos ( - 30%), água para rega de boa qualidade (pH baixo e pobre em bicarbonatos). A área (2mil m2) é interessante, se colocar actividade para serem colhidas ao longo do ano, numa lógica de auto-consumo e mercado local. Pode recorrer aos apoios da Ação 112 do ProDer/Investimentos de pequena dimensão (<25 40="" 50="" ao="" blog="" das="" de="" desfavorecidas="" dio="" e="" eleg="" em="" es="" favorecidas="" font="" investimento="" mil="" neste="" obtendo="" portaria="" procurar="" regi="" subs="" vel="" ver="">).

Negócio e não lazer

Daniel Teixeira disse…

Boa tarde Engº José Martino Tenho alguns colegas que recentemente enveredaram pela agricultura, mais concretamente na área de produção de produtos hortícolas.Tenho acompanhado de perto e tem me suscitado algum interesse visto ser uma actividade bastante "saudável". Tendo alguns terrenos em pousio pensei porque não fazer algo com eles. Então lembrei me de um fruto, pouco conhecido entre nós penso eu, que é o tamarillo, a questão é se a produção deste fruto é rentável? É de fácil cultivo? É de fácil escoamento? Área mínima para ter algum rendimento? Posto isto agradeço que me possa ajudar no que puder!!! Cumprimentos,

Resposta

Nunca achei que fosse uma actividade muito interessante, porque como consumidor não me atrai. A agricultura deve ser vista mais como um negócio do que como uma actividade de lazer. Pode ser saudável mas é exigente.

Ajudas à criação de caracóis

Ana Ramalho disse…

Boa noite, gostaria de saber se neste momento estão a dar ajudas para a criação de caracóis e se é um negócio rentável em Portugal? E ainda se este tipo de criação se dá bem no Alto Alentejo. Obrigado

Resposta

Existem ajudas ao investimento em caracóis, mas não à aquisição de caracóis (animais sem elegibilidade no ProDer). É negócio rentável se for devidamente acompanhado do ponto de vista técnico e de gestão. Esta actividade não tolera temperaturas baixas e baixa humidade atmosférica, sendo recomendada para zonas do litoral.

Instalação de jovens agricultores VI

Telma Duarte disse…

Boa noite. Tenho estado a ver informação sobre o projeto jovem agricultor e tenho uma questão que gostava de lhe colocar sobre o subsídio que se recebe dos bovinos. Com o projeto jovem agricultor não tenho direito ao subsídio? Ou será melhor não recorrer ao projeto jovem agricultor e fazer um projeto familiar para bovinos onde poderei ter até 25 e receber o subsídio? Cumprimentos

Resposta

Se tiver condições para concorrer às ajudas ao investimento para jovem agricultor é sempre a melhor opção. Caso não seja possível, pode optar pelos investimentos de pequena dimensão (<25 agricultura="/" ajudas="" capacita="" da="" e="" mil="" moderniza="" o="" por=""> 25 mil € (pequenos investimentos com menos formalidades).

Ajudas à plantação de vinha

Miguel Castro Pereira disse…

Caro Sr. Eng., gostaria de saber se os fundos comunitários abrangem a plantação de vinha. Agradeço a atenção e felicito-o pelo excelente serviço público que presta. Com os melhores cumprimentos.

Resposta

Os fundos comunitários para apoio ao investimento na vinha são atribuídos através do VITIS e estão fora do ProDer.

Instalação de jovem agricultor V

Gonçalo Silva disse…

Bom dia Sr. Eng. José Martino. Antes de mais gostaria de o felicitar pelo blog. Tenho dois terrenos com aproximadamente 2 a 3 hectares cada e estava a pensar criar algo com o meu irmão. Os terrenos são nos arredores de Coimbra. Que tipo de produção seria mais aconselhável criar? Tendo dois terrenos, seria mais benéfico eu fazer um projeto e o meu irmão outro, ou fazer em conjunto mas fazermos produções diferentes? Os solos dos terrenos têm sido bastante férteis porque sempre semeamos vários produtos e sempre deram bastante bem. Aconselha a utilizar o solo ou investir em plantação mais moderna como a hidroponia ou aeroponia? Desde já o meu obrigado.

Resposta

Para me poder pronunciar sobre as produções mais aconselháveis, só visitando os terrenos para ver as aptidões de solos e clima (aconselho contacto com a Espaço Visual (www.espaco-visual.pt). Fazer 1 ou 2 projectos, são opções que terão de tomar em função de pormenores específicos do vosso caso: actividade, investimento, etc. Sou adepto de se fazer 1 projecto como jovem agricultor e a médio prazo com o aumento da actividade utilizar um 2º projecto de jovem agricultor. 3ª questão: tem a ver com as actividades e as condições do terreno.

Estágios em helicicultura

Edson C. Luís disse…

Boa noite. O seu blog realmente é o que se deve chamar de serviço público. Em tempos enviei-lhe um email, infelizmente não obtive resposta. Provavelmente porque não enviei para o endereço correto. Tenho um terreno de 4000 m em Barcelos. Estou a pensar investir na helicicultura. Tenho um trabalho e como tal o tempo que tenho também é limitado. Com a instabilidade que vivemos quero acautelar o meu futuro. Neste sentido pergunto se ainda há margem para entrar no mercado dos caracóis? É um investimento com futuro? Para ser rentável é preciso muitos anos? Obrigado pela atenção.

Resposta

Não há compromisso de se obterem respostas. Deve colocar as dúvidas através da caixa de comentários do blog, como agora fez. Quanto aos caracóis, deve inscrever-se num estágio formativo em helicicultura, para recolher e trocar informações (a Espaço Visual (www.espaco-visual.pt) organiza alguns, esteja atento). É um negócio com futuro.

Ajudas à instalação de jovem agricultor

José Rego disse…

Boa tarde, antes de mais parabéns pelo blog. Tenho cerca de 1000m2 de terreno nos quais gostaria de fazer uma exploração. As ideias que mais me agradam são a produção de morangos em estufa ou então plantas aromáticas. Sei que o espaço é bastante limitado e por isso pergunto se alguma destas explorações serão viáveis? E se terei subsídio do apoio ao jovem agricultor ou apenas o consigo com um terreno maior? Desde já obrigado e cumprimentos

Resposta

A dimensão do terreno é pequena. Para as ajudas ao jovem agricultor é necessário fazer as contas aos custos do investimento – cada caso é um caso. Para as plantas aromáticas é uma área muito pequena.

Produção biológica de bovinos

Dinis Dias disse...

Boa noite Sr. José Martino, estou desempregado e tenho intenções de fazer um projecto, ou ProDer ou criação do próprio emprego. Não sei qual o mais vantajoso. Gostaria de saber qual a sua opinião do melhor projecto. A minha intenção é fazer um projecto de bovinos de carne, tentar começar com 45 a 50 cabeças. Gostava de saber quais as condições para fazer um projecto ProDer neste caso especifico. Obrigado pela atenção, com os meus cumprimentos.

Resposta

É a dimensão adequada, se tiver terra para pastoreio. É uma boa ideia para um sistema extensivo à base de pastagens e forragens de produção própria (custos baixos). E em produção biológica.

ProDer ou PDR?

Alexandre disse…

Um projecto de 220 mil euros já não pode ser ProDer? Tem que ser PDR? Obrigado pela atenção.

Resposta

Até que o PDR seja aprovado em Bruxelas (Maio/Junho), o Proder ainda funciona. O PDR irá funcionar a partir do 3º trimestre de 2014. Ou até que as verbas do Proder se esgotem, podem sempre ser aprovados projectos. Pelo montante do investimento, pode candidatá-lo ao ProDer.

Hidroponia de folhosas

Filipe Santos disse…

Eng° José Martino, agradeço muitíssimo o tempo que despende na manutenção deste blog de grande utilidade. Gostava de lhe deixar uma questão se me puder elucidar. Sou de Bragança. Possuo alguns investimentos em castanheiro que se dão muito bem na zona, mas estou muito interessado na hidroponia de folhosas (alface e agrião) pelas vantagens que apresenta relativamente ao cultivo tradicional. Pergunto se o facto de estar numa zona de pouca tradição hortícola e poucos produtores será muito prejudicial a nível de comercialização? Obrigado.

Resposta

A ideia é boa, mas boas ideias há muitas. Para serem transformadas em bons negócios requerem conhecimentos ao nível da produção e da comercialização e sobretudo determinação em obter sucesso. Deve montar o projecto com a dimensão adequada e quantidade de produto para que o custo da distância para o entreposto de comercialização seja diluído na quantidade.

Apicultura em Trás-Os-Montes

Nuno Cascais disse...

Boa tarde, Eng. Martino. Antes de mais, agradeço pelo facto de esclarecer tantas questões que lhe são colocadas e sempre de uma forma saudável e cordial. Sou natural de Trás os Montes mais concretamente de Torre de Moncorvo mas vivo no Porto aonde sou responsável de projectos de segurança. Estou num ponto em que a minha vontade é regressar às origens. Tenho alguns terrenos de família, que gostaria de rentabilizar. O meu Pai iniciou-se há pouco na Apicultura e o gosto por essa actividade já é grande. Estou neste momento a terminar uma MBA e vou fazer um curso de apicultura. Finalmente a minha questão é: Aconselha como actividade, como forma de criar uma empresa e produtos inovadores, a Apicultura? Até para recorrer a apoios? Ou aconselha uma outra área de especialização, por exemplo os frutos que normalmente refere? Obrigado pelo seu tempo! Espero vir a recorrer aos serviços da vossa empresa! Com os melhores cumprimentos.

Resposta

A apicultura é uma actividade interessante e rentável. Tem de ter capacidade de produção e de exportação do mel. Trás-Os-Montes é uma região com interesse para esta actividade. Deve ser organizado e rigoroso, senão corre o risco de ter prejuízo, por causa das doenças que aparecem nesta actividade. Exige conhecimento prévio e muita informação.

Produção de mirtilo no Alentejo

Filipe Serrano disse…

Boa tarde, Tenho investigado sobre a cultura do mirtilo em Portugal pois não possuo uma grande quantidade de terra. Contudo a localização dessa terra é no Baixo-Alentejo e tanto quanto sei, não existe cultura de mirtilo nessa zona. Verifico que o mirtilo na sua variante do Sul requer menos horas de frio por ano. Talvez possa ser viável nessa zona (efectuando um ligeiro acerto de ph da terra, coisa que penso ser possível), mas não tenho a certeza nem conheço ninguém que tenha experimentado. Sabe dar-me algum conselho relativamente a isto? Será demasiado arriscado? Muito obrigado.

Resposta

Solicite a visita de um técnico da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt). A empresa vai abrir delegação em Beja (contacto: Benjamim Machado 924 433 183).

Instalação de jovem agricultor IV

Nelson Cunha disse…

Boa noite, gostaria de saber se posso candidatar-me a um projecto de jovem agricultor. Por outro lado, com 8000 m2 qual a cultura mais adequada (estou indeciso entre mirtilo e espargo) na zona da Póvoa de Lanhoso. Agradeço desde já toda a atenção que vier a dispensar.

Resposta

Mirtilo ou framboesa. Depende do montante do investimento para cumprir os índices económicos do projeto de jovens agricultores.

Apoio para aquisição de terrenos

Matheuz Zheus disse…

Sr Engenheiro , pretendo dedicar-me como jovem agricultor no Minho, em Arcos de Valdevez, para produção agrícola de frutos e hortícolas, é possível ? Dão apoio para a aquisição de terrenos ou apenas para instalações e produção? Atenciosamente 

Resposta

Deve arrendar o terreno. Aproveitar o dinheiro disponível para os custos de exploração, enquanto não equilibrar a tesouraria.

Instalação de jovem agricultor III

Filipe Coelho disse…

Caro Eng.º José Martino, desde já agradeço a sua enorme disponibilidade em manter este blog que ajuda certamente muita gente. A minha questão prende-se com o seguinte: Tenho 33 anos e residente em Bragança, terra fria transmontana. Nunca pedi qualquer apoio mas tenho 500 pés de castanheiros plantados. O natural seria que fizesse um projecto para essa área mas pretendo um projecto que me possa trazer rentabilidade a relativamente curto prazo e me permita criar o meu posto de trabalho a tempo inteiro, pelo que os castanheiros não são opção. Haverá alguma área que me possa aconselhar? Sei bem que sem experiência terei que estudar profundamente a fileira mas vontade não falta! Não possuo terrenos disponíveis mas preciso primeiro de me decidir em que apostar para depois começar a procurar. Já li quase tudo sobre hidroponia (que me parece muito interessante mas que exige investimentos altos), sobre frutos vermelhos ou mesmo plantas ornamentais. O que devo fazer para me candidatar às ajudas de jovem agricultor?

Resposta

Sem ver os terrenos é difícil responder, mas arrisco os frutos vermelhos e as plantas ornamentais. É preciso ter a comercialização assegurada, aptidão de solos e clima para as diversas actividades.

Produtores de alfaces e tomates

Sílvia disse…

Caro Eng. José Martino, Antes de mais, quero deixar um agradecimento ao excelente serviço em prol da agricultura nacional que presta no seu blogue. Gostaria de saber se me pode fornecer alguns contactos de produtores de alfaces e tomates (agricultura convencional) da região norte. Pretendo investigar os custos de produção por m2, maioritariamente com fitofármacos e adubação, para posteriormente fazer uma analise comparativa com a hidroponia. Obrigado pela atenção.

Resposta

Não é fácil indicar publicamente esse empresários agrícolas, mas aconselho-a a contactar fornecedores de sistemas de rega em hidroponia, que têm essa facilidade.

Instalação de jovem agricultor II

Maria Fernanda Barbosa disse…

Boa tarde. O jovem agricultor tem que trabalhar a tempo inteiro ou pode exercer outra actividade? Obrigada 

Resposta

Quem concorre às ajudas  do ProDer pode manter a sua actividade profissional, mas gerir à distância tem os seus riscos.

Instalação de jovem agricultor I

Nuno Cascais disse…

Bom dia, Eng. José Martino, no seguimento do meu estudo sobre a viabilidade de me tornar jovem agricultor, como já anteriormente referi, gostaria se saber o seguinte: É possível tornar-me jovem agricultor e concorrer aos apoios de instalação de jovem agricultor e continuar (pelo menos um ano) com o meu emprego fixo no Porto? A ideia era fixar-me em Trás-Os-Montes de onde sou natural. Qual é o melhor procedimento para verificação de viabilidade de plantação num determinado solo? Ou seja, pretendo saber se o solo dos terrenos é indicado para a plantação de certas culturas. Obrigado desde já pelo seu tempo.

Resposta

Quem concorre às ajudas do ProDer, pode manter a sua actividade profissional, mas gerir à distância tem os seus riscos. Tem de arranjar um bom capataz/chefe de exploração e a equipa adequada. Solicite a visita de um técnico da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt), falar com Sónia Moreira, para analisar os solos e elaborar Plano de Negócios.

Montar pequena estufa

Hélder Ferreira disse…

Boa tarde engº Martino... Tenho um pequeno terreno com 700mts quadrados, e gostaria de saber se há algum tipo de incentivo para a montagem de uma pequena estufa... tenho ideia que será preciso 1000mts quadrados. É verdade?

Resposta

São elegíveis investimentos mínimos de 5 mil €, com 40% ou 50% de subsídio, conforme a parcela se situe em região favorecida ou desfavorecida, respetivamente (pesquise neste blogue “regiões desfavorecidas”).

Como rentabilizar terreno

Hugo Pinheiro disse…

Boa tarde Sr.engenheiro. Tenho um terreno com 5000m2 e está ao abandono, é plano não tem água para já... Sou um leigo nestas coisas e gostaria de um conselho de quem sabe: como posso rentabilizar este terreno? Obrigado.

Resposta

Pedir a um técnico para visitar os terrenos (www.espaco-visual.pt).

Devolver fundos

Luís Bívar Ramos disse…

Se um projecto que recebe fundos "morre", o dinheiro recebido não tem de ser devolvido? Podendo assim ser realocado a outros projectos... ou fica em "fundo perdido"?

Resposta

Se o projecto falhar, o dinheiro dos fundos comunitários tem de ser devolvido. Trata-se de dívida fiscal.

Comercializar physalis

Luís Almada disse…

Bom dia Sr. Eng. José Martinho Tenho uma produção de Physalis em Santarém. Penso que vão estar em produção lá para meados de Agosto. Gostaria de saber se conhece alguém que comercialize este produto? Melhores cumprimentos

Resposta

Fale com Bfruit (www.bfruit.pt).

Como produzir cogumelos

Ricardo Figueira disse…

Bom dia. Estou a pensar investir na produção de cogumelos (inicialmente tinha várias ideias, como ervas aromáticas, compotas, etc). Tenho terrenos onde posso construir armazém e espaço para tudo que for necessário. Também já tenho assegurado escoamento do produto mas pergunto me qual será a forma mais rentável de o fazer? Produzir em sacos? Em troncos? Que tipo de cogumelos devo produzir? Vale a pena o investimento? Tenho investigado e feito algumas experiências em sacos. A produção é boa, sou eu que faço os sacos não tendo assim de os comprar já feitos (o que sai bem mais barato). Pergunto me qual será a forma mais rentável? Estou a apostar na área certa? Também gostava de saber quando é o próximo estágio, estou bastante interessado. Deixo o meu email:ricardo_figueira94@hotmail.com
Cumprimentos

Resposta

Deve visitar diversas explorações para verificar qual o sistema que lhe parece mais adequado. Deve produzir em função do mercado (comercialização assegurada).
Deve estar atento aos estágios que são anunciados no site da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt).