O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


sexta-feira, 1 de maio de 2015

Espargos

"Boa tarde Sr. Eng. José Martino,

Chamo-me ..., sou de ..., tenho 32 anos e antes de mais nada, peço imensa desculpa pelo meu incomodo, mas não podia deixar de o contactar por esta via.

 Depois de apreciar o seu excelente trabalho e profissionalismo no seu blog, que dou desde já os meus sinceros parabéns, peço por favor a sua  opinião relativamente a minha decisão de me dedicar de corpo e alma a agricultura.

Sempre trabalhei na área comercial mas sempre admirei quem praticava a agricultura, nunca segui por esse caminho por pensar que não seria rentável o suficiente, dou por mim agora com o sonho de cultivar o espargo, visto que este alimento não tem por hábito ser cultivado em Portugal, ter uma grande procura internacional, e havendo um consumo nacional a ordem de 1M €, julgo que o produto pode ser rentável o suficiente, caso corresponda as qualidades que o espargo deve apresentar.

Desta forma caso me possa aconselhar questiono o seguinte ao Sr. Eng. José Martino:
Pretendo um cultivo de 2ha, na zona de ... que tem um custo de implementação de 65.000€ por ha, na sua opinião será rentável? Até ao momento tenho informação que 1 ha de cultivo no modo cruzeiro produz 8 a 9 toneladas de espargo sendo ele vendido ao retalho a 5,5€ kg, perfaz um total de ganhos que pode variar entre 44.000€ a 49.500€... Acha que estes dados indicadores são um bom índice para apostar neste cultivo?
Seria o cultivo do espargo uma boa aposta para efectuar uma candidatura ao programa PDR2020?
Devo me candidatar a jovem agricultor?
Nestas circunstâncias que apoios julga que poderia obter?
Conseguindo obter o máximo de apoios comunitários, na sua opinião, em termos percentuais, qual seria o meu investimento no cultivo?
Caso não tenha o valor necessário para o investimento, existem linhas de crédito que financiem  a aposta na agricultura? Como apoios reembolsáveis efectuados pelo estado?
Devo me candidatar sozinho, ou com uma sociedade de 2 jovens agricultores? Ou com dois projectos individuais? Perfazendo num total 4ha de cultivo?
Devo alugar o terreno para o cultivo? Ou compra? Visto que o cultivo do espargo tem um ciclo de vida por volta dos 12anos.
No plano empresarial, a apresentar na candidatura, posso englobar todo o investimento? Desde de aluguer anual do terreno, preparação do solo, análises ao solo, maquinaria, fertilização do solo, produto a semear, vedação, caminhos, painel solar, aparelhos de controlo de rega, sistemas informáticos, etc.??

Mais uma vez o meu muito obrigado pela sua disponibilidade de tempo em ajudar um jovem que se pode tornar um bom agricultor.

Continuação do seu excelente trabalho...

Na ansiedade se receber a opinião do Sr. Eng. José Martino eu me despeço.

Melhores cumprimentos"


Comentários:
1 - Diz o povo: "Não há fome que não dê em fartura!" por isso não me espanta que a visão sobre as agriculturas de Portugal tenham passado de "besta" a "bestial". Na minha opinião, a rentabilidade dos negócios na agricultura está muito ligada à competência do empreendedor, à sua motivação, resiliência e "capacidade de levar a carta a Garcia". Por isso, antes de surfar a onda da moda na agricultura verifique se tem efectivamente vocação para empresário agrícola

2 - No espargo deve começar por avaliar que entidade lhe irá valorizar as produções, que tipo de produto quer, espargo branco ou espargo verde, que variedades, que época de produção, logística de entrega das produções, etc.

3 - Estando satisfeito com o elencado em 2 avance com a produção pois e um excelente negócio.

4 - Para responder às questões formuladas marque uma consulta com a Eng. Inês Anacleto da Espaço Visual (910 905 474).

5 - Todos os investimentos (custos que sejam contabilizados em mais do que um exercício económico) devem fazer parte do projecto. Custos anuais, como por exemplo a renda, não são elegíveis para efeito de obtenção de ajudas publicas ao investimento.  

6  - Se ler com atenção este blogue saberá que recomendo em primeiro lugar o arrendamento da terra e só no caso de ser impossível fazê-lo aceito que se compre ou caso a sua aquisição seja um negócio extremamente bom para o jovem agricultor.

7 - Só deve aceitar ter sócios para investimentos acima dos 6 hectares de cultura.




Sem comentários: