Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2019

Mirtilo - Controlo de Infestantes

Boa noite,Eng. 
Tenho um problema grave com as ervas infestantes junto ao pé da planta mirtilo, tenho tela mas no buraco onde esta a planta que tem de raio uns 5 a 7 cm nasce me alguma erva que não consigo a dar vazão a monda-la, que herbicida posso utilizar tendo em conta que estou em produção integrada?
Cps

Comentários:
1. O problema que identifica com infestantes no buraco da tela é maior quando as plantas têm 2 anos ou menos, nesta altura as próprias plantas fazem pouca sombra na zona do seu colo (zona de transição entre a raiz e os caules do arbusto).

2. Não recomendo a aplicação de herbicida nas infestantes do buraco da tela na base da planta, porque o colo da planta é uma zona com risco elevado de entrada do herbicida e de vir a afetar o desenvolvimento do arbusto.

3. No buraco da tela pode aplicar areia, casca de pinho bem curtida, estes inertes retardam o aparecimento de infestantes ou as que aparecem são mais fáceis de arrancar à mão. Em alternativa pode colocar um tampão em teci…

Inquério CAP - qualificação e competências dos recursos humanos

1. Levei cerca de 20 minutos a preencher o inquérito da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP)  para avaliar as necessidades dos empresários agrícolas em matéria de qualificação e competências de recursos humanos do mundo rural (O inquérito online aqui.). 2. Espero que a CAP consiga atingir os objetivos que traçou “identificar as necessidades de qualificações, mapear as competências chave para o mundo rural e conceber os referenciais de qualificação chave para o desenvolvimento do setor agroflorestal.” 3. Faço votos que dos resultados deste inquérito resultem melhores e mais eficazes ações de qualificação para os agricultores. Este Eixo é chave para a melhoria da competitividade das explorações agrícolas de Portugal

Acesso à Terra - Reforma Estrutural para as Agriculturas de Portugal

Uma das principais reformas estruturais que as agriculturas de Portugal precisam é de aumentar a dimensão das explorações agrícolas nas regiões de microfúndio e minifúndio, seja para agricultores já instalados, seja para a instalação de jovens agricultores ou outros menos jovens.

Como fazê-lo?
1. Expropriação de uso: publicar lei que autorize o arrendamento compulsivo a quem tem as suas terras agrícolas ou florestais abandonadas;
2. Extinção ao fim de 2 anos de heranças indivisas de prédios rústicos ou mistos: Passados 2 anos da publicação da lei ou 2 anos após a data de morte do proprietário, os herdeiros terão de fazer a partilha ou transformar as cotas da herança em cota de empresa que passará a deter as propriedades. Após este prazo, o tribunal nomeia um gestor judiciário que procede à venda dos  imóveis, liquida impostos e coloca em conta bancária o valor de cada herdeiro.

Que me aconselha: negócio na área da saúde (sou enfermeiro de formação) ou investimento na agricultura?

Boa tarde sr José , Antes mais quero pedir desculpa por estar a incomodar por aqui mas é a única forma de entrar em contato consigo agora... Já sigo a pagina da Espaço Visual há algum tempo e neste momento estou no estrangeiro a trabalhar mas vou regressar a Portugal e quero investir na agricultura, sou lhe sincero não sou da área sou enfermeiro mas sempre adorei o campo e atividades inerentes a isso e tenho o sonho de ter o meu próprio negocio e como na saúde para se ter lucros temos de prestar maus cuidados prefiro não abrir nada nessa área. De maneira que teria de ter formação e acompanhamento técnico na área que for produzir. Sei que existem alguns apoios a jovens agricultores você é engenheiro agrónomo não é? Está dentro dessas burocracias e capaz de me dar alguns conselhos certamente... Que me aconselha? Não faço ideia do que produzir ou o que seja melhor na zona onde estou inserido ou o que terá mais facilidade de escoamento, antes de recorrer a consultadoria devo já saber o que…

Seguros de Colheita Para Agricultura Obrigatórios Por Lei

Que Pormenores a Melhorar nos Seguros Agrícolas? Segundo a Lusa o ministro da Agricultura sensibilizou no Domingo passado, os agricultores em Montemor-o-Velho, para a questão dos seguros agrícolas, embora admitindo que, actualmente, o sistema – que conta com uma comparticipação estatal anual de 15 milhões de euros - não é atractivo. Isto já nós agricultores sabemos, os seguros são caros e há uma relação muito baixa entre o valor que recebemos quando há sinistro e sem sinistro. É preciso melhorar esta relação e ao mesmo tempo colocar o valor do prémio do seguro num nível de custo que não ultrapasse os 5% dos custos de produção.

“Estamos a reformular o sistema de seguros e gostaríamos que na próxima campanha já pudéssemos ter um sistema atractivo para todos”, disse.
Questão: Quais são os pormenores do sistema de seguros que há para estudar, definir e implementar que levem os responsáveis do Ministério da Agricultura a não terem a certeza se conseguem melhorar o novo sistema até à próxima…

Desenvolvimento das Agriculturas de Portugal

Caro Engenheiro 
Muitos parabéns pelo seu sucesso profissional e mais ainda, pela sua disponibilidade em transmitir os vossos ensinamentos aos vários interessados na agricultura. 
Um abraço

Comentários:
1. É muito bem sentir que o trabalho desenvolvido em prol do bem comum e do desenvolvimento da sociedade, é reconhecido e valorizado. Muito obrigado pelo envio da mensagem.

2. Gostava que as agriculturas de Portugal se desenvolvessem e os agricultores tivessem uma excelente valorização económica e social da atividade que exercem.

3. Acredito na partilha de conhecimento, experiência, trabalho, como melhor forma de todos ganharmos e de ficarmos mais ricos.

4. O tempo passa e os desafios são maiores porque a concorrência internacional é cada vez mais apertada. Há maior necessidade de traduzirmos o que fazemos/trabalhamos/investimos em bons resultados. Ficaria imensamente feliz se as estatísticas agrícolas espelhassem este desiderato.

5. Este blogue é um dos meios que tenho para ajudar os vários i…

Pistácios

Boa tarde, sr. eng. Jose Martino, 
Queria lhe perguntar se a zona de Fundão é boa para produção de pistachios.

Comentários:
1. A região do Fundão tem aptidão para a cultura de pistácio.

2. Verifique se os solos são bem drenados.

3. Faça uma boa correção de cálcio no solo.

Tenho 1 hectare de terreno em Vila Franca de Xira: culturas que recomenda para que possa rentabilizar os terrenos?

Boa tarde, Tenho acompanhado o seu blogue  Se me puder dar alguma dica agradecia muito estou a pensar dedicar me a agricultura pois tenho um trabalho que me permite ter bastante tempo livre, vi que a cultura do pistáchio poderia ser interessante, a tenho um terreno de 1 ha mais ou menos que poderia usar numa fase inicial e utilizar outros um pouco mais pequenos mais tarde, no entanto gostaria de ter alguma ideia se seria viável esta cultura na zona de Vila franca de Xira bem como a nível economico se é interessante, ou outra cultura para que possa rentabilizar os terrenos. Obrigado Com os melhores cumprimentos, 
Comentários:
1. O pistácio é uma cultura para regiões muito frias de inverno e muito quentes de verão, regiões do Interior de Portugal em que a primavera e outono são estações do ano muito curtas. Em conclusão: em Vila Franca de Xira há clima ajustado para as variedades atuais do pistácio.
2. A cultura do pistácio deve começar por 3 a 5 hectares e caminhar para explor…

Cadastro da Propriedade Rústica e Mista - Projeto Estruturante Para Concluir Numa Legislatura

Há praticamente 10 anos atrás (26 setembro de 2009) escrevi o seguinte post neste blogue: Um desígnio nacional: Fazer o cadastro territorial de Portugal! O Jornal Expresso do passado dia 19 de Setembro de 2009, trazia um artigo cujo título era: “Metade do País está por Cadastrar”. Indicava que o Estado perde centenas de milhões de euros por ano em receita fiscal, pela simples razão que não sabe a quem cobrar, desconhece-se 20% do território e de muitos terrenos cadastrados desconhecem-se os seus limites. Além da perda de receita fiscal, impede que se possa avançar com uma política agro-florestal profunda.
O Ex-Ministro da Economia, Augusto Mateus, calcula que a actualização cadastral trará um ganho de 4000 milhões de euros.

Calcula-se que será necessário mais de uma década para ter Portugal cadastrado porque envolve quatro ministérios: Finanças, Justiça, Ordenamento do Território e Agricultura.

Na minha opinião seria um desígnio nacional conseguir-se fazer o cadastro entre 2 a 4 anos. S…

Frutos secos para Vila Pouca de Aguiar

Boa tarde senhor José Sou um jovem do concelho de Vila Pouca de Aguiar distrito de Vila Real e estava a pensar candidatar-me a um PDR para uma plantação de frutos secos ex (pistachos ou amendoeiras, só não queria castanheiros) e precisava de umas dicas e se será rentável nesta zona 

Comentários:
1. Os frutos secos são uma boa opção de investimento para o concelho de Vila Pouca de Aguiar.

2. Os pistácios não são boa opção porque há elevada probabilidade de chuva no mês de abril, época da polinização, o pólen vai por ação do vento das plantas masculinas para as plantas femininas, se houver chuva  o pólen não circula no ar e consequentemente, os frutos à época da maturação (setembro) estarão vazios.

3. A cultura da amendoeira pode ser opção com variedades cujas necessidades em frio invernal estejam em linha com o número de horas de frio (temperatura abaixo de 7.ºC entre novembro e fevereiro). Deve ter atenção ao número de hectares mínimos necessários para tornar rentáveis a cultura e a re…

Posso obter apoios financeiros públicos para limpar uma quinta?

Muito bom dia. Agradecia que me ajudasse no seguinte: Herdei uma quinta com duas pocilgas mas em mau estado e a própria quinta a precisar de uma grande intervenção pois está cheia de silvas. O que eu gostaria de saber era se ha algum tipo de apoio para limpar e para os pavilhões alguma coisa tb para pelo menos ficarem as paredes. Obrigado e cumprimentos

Comentários:
1. Existem apoios públicos de apoio ao investimento que podem contemplar a limpeza dos terrenos ou a adaptação e melhoria dos edifícios das antigas pocilgas para armazém agrícola, caso faça ao mesmo tempo investimento produtivo que no futuro vá gerar previsivelmente receita para amortizar os investimentos.

2. Para o que necessita fazer não neste momento não consegue obter apoios específicos para o efeito.

3. Deve ponderar o que precisa de reunir para obter apoios ao rendimento que pode usar para o quer fazer na sua propriedade.

4. No que diz respeito ao indicado em 3., cada caso é um caso, se o entender como mais valia, marq…

O que me leva a dar a cara para que a agricultura portuguesa se modernize

Em 9 de agosto de 2009 escrevi neste blogue o post seguinte que aqui reproduzo porque ainda se mantém atual na maioria dose seus pontos e que vale a pena recordar:
Escolhi o curso de Agronomia por vontade própria, contra a vontade da família, a qual pretendia que fosse médico (à época tinha notas para entrar em medicina) porque era a licenciatura que realiza a minha vocação. Temos um prazo de vida limitado e para mim, entendo que tenho uma missão a cumprir: fazer com que o mundo que deixar aos meus filhos seja melhor que aquele que os meus pais me deixaram.

Esta missão, “tipo catecismo” divide-se em áreas práticas, no denominado “como se faz”:
1- Ser um pai de família exemplar. Fazer o que seja necessário, diariamente, para que a minha mulher e os meus dois filhos, tenham tudo para serem felizes, mesmo que para tal tenha de fazer sacrifícios e “engolir o meu egoísmo”. A felicidade constrói-se trabalhando todos os dias, lutando para que aconteça, aceitando a realidade quando nem tudo c…

Eletricidade Verde

Estando a proceder à análise dos diversos custos de produção em actividades agrícolas e pecuárias e chegando ao detalhe dos custos com a energia eléctrica, dei comigo a interrogar-me: porque não temos o subsídio à electricidade verde que foi suspenso por despacho de 2006 (data de suspensão efetiva: 30 setembro 2005)?

Seria um instrumento importante de apoio à competitividade  das empresas agrícolas portuguesas face às suas congéneres europeias que concorrem com as produções agrícolas portuguesas nos mercados internacionais e no mercado nacional.

A ajuda financeira ao consumo de energia eléctrica nas actividades agrícolas e pecuárias exercidas no continente, vulgarmente designada por subsídio à electricidade verde existe desde a publicação do despacho conjunto A-71/94-XII, de 6 de Outubro.

Esta medida foi introduzida para minimizar o impacte decorrente da entrada de Portugal na União Europeia e a consequente liberalização dos mercados agrícolas de modo a permitir uma melhor
competitiv…

PDR 2020

Caríssimo José Martino,
Obrigado desde já pela visibilidade e ajuda que tem dado à agricultura em Portugal.
Estou com uma dúvida em relação a uma possível penalização de incumprimento de um projecto de jovem agricultor, em relação ao regime de exclusividade do Jovem Agricultor.
Neste momento estou inteiramente dedicado à exploração agrícola, mas dada a demora da decisão das candidaturas, não sei se será possível manter esta condição de exclusividade, ou se será necessário ter outra fonte de rendimento.

Gostaria de confirmar se a penalização pelo não cumprimento desse critério, será a redução de 25% da ajuda, bem como a perda de majoração associada ao regime de exclusividade, ou se implica a devolução total do apoio, no caso de ter outra fonte de rendimento no futuro.
Agradeço desde já a sua ajuda, uma vez que esta é uma questão da maior importância. Melhores cumprimentos,
Comentários: 1. Por cada critério não cumprido são 25% de redução da ajuda. Neste caso, ainda tem q…

Medronheiro

Viva,
Tenho interesse em cultivar medronheiro, será negócio interessante ou uma das muitas boas  ideias cujas modas do mundo rural que não resiste à passagem do tempo?
Será que me pode responder?
Agradeço tudo o que tem feito pela agricultura,floresta e mundo rural de Portugal.
Cumprimentos,

Comentários:
1. O medronheiro tem muito potencial ambiental adaptando-se quase a todo o território continental, excepto às regiões muito secas e muito frias.

2. Há uma economia ligada à recoleção do fruto sobretudo no Algarve, a qual está ligada à produção de aguardente.

3. Nos últimos anos fez-se um esforço para estudar as melhores técnicas culturais, plantas, colheita em função dos objetivos do fruto, transformação do fruto, valorização das produções.

4. Pergunta: será negócio interessante? Para a produção de aguardente, sim. Para outras utilizações, até esta data, tenho dúvidas sobre a sustentabilidade primeiro financeira e depois económica. Acredito que tem potencial  para gerar dinheiro, valor …

Batata

José Martino, boa noite,

Cultivo um hectare de batata e pelos resultados que tenho obtido parece-me um negócio interessante se tiver maior dimensão para justificar a estrutura de mecanização. O que opina sobre esta cultura e atividade?
Agradecida
Cumprimentos

Comentários:
1. A cultura da batata é interessante se for desenvolvida em  regadio e for cultivada em região sem risco de geadas na primavera para fugir ao calor do verão porque os tubérculos não crescem se a temperatura ambiente for elevada (acima dos 30ºC).

2. Na exploração de batata pode-se mecanizar a preparação de terreno e plantação, rega, aplicação de fitossanitários e arranque. Toda esta estrutura de mecanização para ser amortizável, claro que depende qual o rendimento liquido que gera por hectare, este por sua vez depende do preço de venda das batatas e da produtividade obtida (os custos totais são mais ou menos rígidos) depende muito da dimensão total da atividade. Na minha opinião a economia de escala (dimensão da ativi…

Abóboras Gigantes do Concelho Paredes

Sr. Eng. José Martino, boa noite,

Há alguns meses atrás tive oportunidade de o ouvir numa sessão de apresentação pública promovida pela Câmara Municipal de Paredes sobre o Projeto "Cá Paredes - O maior da minha aldeia". Retive do evento que a equipa técnica do projeto iria ajudar os habitantes de Paredes que aderissem ao desafio e cultivassem as abóboras, a obter frutos, cada um com centenas de quilos, muito acima do peso máximo por abóbora conseguido anteriormente em Portugal. Como está a correr o projeto? Onde e quando será realizada a feira/concurso dessas abóboras gigantes?
Obrigado e cumprimentos,

Comentários:
1. O ponto de situação do projeto é público e pode ler as notícias nos seguintes endereços na internet:
- "https://www.cm-paredes.pt/pages/1059?news_id=991";
- "https://verdadeiroolhar.pt/2019/07/30/ha-11-produtores-paredes-ja-inscritos-concurso-horticolas-gigantes/";
-"https://www.cmjornal.pt/portugal/cidades/detalhe/maior-abobora-do-pais-e-d…

Mão de Obra para a Agricultura

Eng. José Martino, bom dia,
Estou com dificuldades em encontrar mão de obra para a minha vindima, o que me aconselha a fazer?
Obrigado
Cumprimentos, Comentários:
1. O problema da falta de mão de obra não é novo mas aumenta de ano para ano à medida que a taxa de desemprego baixa e saem trabalhadores da atividade por atingirem idade de reforma (predomina mão de obra com idade acima de 50 anos). 2. A dificuldade em encontrar mão de obra sazonal disponível para trabalhar nas explorações agrícolas para assegurar as colheitas e outras operações culturais está a acarretar elevados prejuízos. 3. Defendo que deve procurar quem tenha disponibilidade e interesse para trabalhar no campo nas freguesias e concelhos vizinhos da sua exploração.

4. Caso não consiga o número de trabalhadores fazendo o que indiquei em 3. recorra às empresas de trabalho temporário incluindo as que disponibilizam mão de obra estrangeira (recomendo a Landman https://www.facebook.com/pages/category/Agricultural-Service/Lan…

Escola de Pastores

A criação das Escolas de Pastores integra-se no projeto “Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro”, projeto elaborado pela Ruris, cujo objetivo se centra na oferta de um importante contributo para a valorização económica da fileira dos queijos DOP da Região Centro (queijo Serra da Estrela, queijos da Beira Baixa e queijo Rabaçal). O objectivo geral da criação das Escolas de Pastores prende-se com o desenvolvimento de um programa de capacitação que permita,  a valorização social e económica desta profissão, base da fileira dos queijos DOP da Região Centro. Pretende-se pois, que no final do seu curso, o formando adquira a capacidade de se lançar na atividade ou trabalhar para terceiros, fazendo bem, cumprindo o bem-estar animal, prevenção de riscos ocupacionais, proteção ambiental e segurança alimentar. Já se encontram abertas as inscrições para a Escola de Pastores, terminando o prazo destas a 23 agosto. Todos os empreendedores em idade ativa podem candidatar-se a…

Mirtilos

Boa tarde Sr. José. Desculpe incomodar novamente devido ao mesmo assunto. Surgiu a oportunidade de um terreno com maior área, cerca de 4 hectares, mais 1 terreno contíguo com cerca de 1.5 hectares. Gostaria de saber, a sua opinião quanto á plantação, tendo em vista quem sabe, a colheita mecanizada num futuro próximo. Será possível comercializar o produto em fresco, ou apenas para industria ? A despesa com a maquina de colheita, cerca de 90.000€ poderá ser comparticipada no projecto ? Qual a área minima para si, que justifique a colheita mecanizada ? Aguardo a sua resposta, e mais uma vez peço desculpa pelo incomodo.
Cumprimentos,
Comentários: 1. Uma exploração com 5,5 hectares tem na minha opinião escala para a cultura do mirtilo.
2. Defendo que deve cultivar variedades de mirtilo para consumo em fresco.
3, O investimento na aquisição da máquina de colheita pode ser apoiada pelo PDR2020, embora me pareça mais racional proceder ao aluguer da mesma por haver oferta no mercado.
4. Tend…

Gazeta Rural N. 344 - 31 julho de 2019 - Opinião

Agriculturas de Portugal, 15 anos de problemas estruturais*
 Em nome da Espaço Visual felicito a revista Gazeta Rural pela comemoração de 15 anos de publicações regulares que contribuíram para divulgar o que de melhor se faz no mundo rural, agriculturas, florestas, produtos endógenos, gastronomia, alterações climáticas, formação profissional, etc. Aproveito esta oportunidade da edição especial de aniversário para lançar à reflexão alguns temas que nos parecem do maior interesse público nesta época de pré-campanha eleitoral em que os principais partidos anunciam os seus programas para a agricultura ao longo dos quatro anos da próxima legislatura, problemas estes que por serem estruturais se mantiveram ao  longo dos últimos 15 anos e correm o risco de persistir na linha do tempo:

1- Défice da balança comercial dos produtos agrícolas e agroalimentares agravou-se segundo publicou recentemente o INE em 80 M€ faze a 2017 (as importações aumentaram mais que as exportações) e atingiu os 3.705,…