O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

Porque se deve investir na agricultura?

O leitor Luis Ferreira escreveu neste blogue:

"(15k euros +2,2k euros)x15ha = 258.000 euros

a 6% ao ano => 15.480 euros/ano
a 8% ao ano => 20.640 euros/ano
a 10% ao ano => 25.800 euros/ano
a 12% ao ano => 30.960 euros/ano

é só escolher a taxa de risco a que se quer expor (existem taxas bem mais altas, mas que não recomendo)...

... e fica com todo o tempo do mundo para somar o rendimento de um parte time, sem stress, sem ter de gastar mais dinheiro na compra de terra, sem andar preocupado com as chuvas, a geada (...) deite fora todo o rendimento, aliás, que some prejuízo em cima de prejuízo.

Depois tem de somar IVAs, IRC, PECs, retenções, Segurança Social, Condições de trabalho, formalismos...

Pense bem antes de se empenhar.

Luís Ferreira"

Comentários:

1 - Na sua análise deve entrar em linha de conta com os apoios do programa VITIS que suportam pelo menos 75% dos custos de investimentos na vinha, bem como aos fatores que maximizam a produtividade da vinha e a valorização das uvas, o que baixa fortemente o risco. Parte do principio que  os investidores dispõem à partida de todo o dinheiro para suportar os custos de investimento e de exploração, o que não acontece com a maioria dos casos.

2 - É importante fazer uma análise de rentabilidade e de risco à atividade agrícola que se quer abraçar, ponderando e refletindo sobre os fatores criticos de sucesso, mas mais determinante é o perfil do empresário, a sua determinação, coragem, capacidade de gestão da mão de obra e a resiliência. Se o racicionio do leitor fosse correto, os melhores empresários seriam os economistas e gestores, bem como os melhores empresários agrícolas seriam os engenheiros agrónomos, a realidade é bem diferente.

3 - Cada um deve investir nas atividades para as quais tem vocação ou sonho, em lugar de embarcar no lado fácil de partir do pressuposto que a agricultura ou o empreendedorismo não são interessantes como projetos de vida.

4 - Ontem tive o grato prazer de almoçar com dois empresários da agricultura que começaram do zero e numa geração ergueram empresas agrícolas e agroindustriais muito importantes. Se optasem pela estratégia das aplicações financeiras certamente não teriam contribuido da mesma forma para a criação de riqueza e emprego em regiões desfavorecidas de Portugal. Tenho a certeza que alguns dos jovens que se estão a instalar na agricultura, dentro de 30 anos, estarão neste mesmo patamar de sucesso.

5 - Como se pode conseguir deter capital sem fazer investimento produtivo? Será sustentável a estratégia pessoal e de um país que privilegie os mercados financeiros? Está a vista o que esta estratégia da não produção de riqueza através da agricultura, indústria, pescas, extração mineira, serviços exportadores, etc., produziu em Portugal.

6 - Os empresários agrícolas são importantes para ajudar a combater a crise económica e fiananceira que se abateu sobre Portugal. Para muitos jovens desempregados a agricultura é uma oportunidade empresarial para exercerem o seu talento e implementarem os seus projetos de vida 

3 -   

Sem comentários: