O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Apicultura


Caríssimo
Antes de mais parabéns pelo 7º aniversário anos do Blog, que tenho acompanhado, com votos de que se prolongue com sucesso.
Tenho andado a perscrutar os apoios disponíveis no âmbito do Programa 2020, designadamente no que concerne ao apoio à agricultora, e pode ser desta que me lance na atividade que menciono em epígrafe.
Tenho 50 anos, trabalho em Lisboa enquanto quadro superior de um organismo público e tenho tido uma relação apenas marginal com a agricultura, apesar de sempre ter perspetivado poder vir a fazer qualquer coisa neste domínio.
Sucede que tenho um terreno com cerca de 1 hectare, numa freguesia do concelho de Alcanena, no distrito de Santarém. O terreno é murado e vedado, tem electricidade (com contador), um furo de captação de água e um barracão de apoio que poderá vir a ser transformado em melaria. Contudo, o terreno tem estado abandonado mas gostaria de o poder rentabilizar.
Tenho andado a pesquisar e surgiu-me a ideia das abelhas como uma possibilidade de rentabilizar o dito terreno. Designadamente através da produção de mel e/ou seus derivados.
Apesar de estar com determinação e vontade de avançar tenho, contudo, consciência de alguns dos meus handicaps. O meu conhecimento de apicultura é mais teórico do que prático, mas penso que isso poderia ser compensado com a frequência de cursos de formação, eventualmente na Sociedade dos Apicultores de Portugal, que de vez em quando abre cursos de formação, ou na Cooperativa Terra Chã que é relativamente próxima.
Outra limitação minha é a falta de conhecimento sobre o processo burocrático associado à formalização das candidaturas aos fundos europeus. E, nessa dimensão, não sei se me poderia vir a ajudar?
Terei certamente outras dificuldades que agora não antevejo mas estou muito motivado para as ultrapassar no sentido de concretizar este projeto. Falta-me, no entanto, um "amigo crítico" que, das duas uma: ou me dá o empurrão de que preciso para avançar, ou me dissuade de vez desta ideia.
Fiz uma estimativa por alto, numa folha exel, do que posso vir a precisar para a instalação do apiário, basicamente tudo, e já vou num investimento previsto de cerca de 70 mil euros (apiário e melaria). Como tenho algumas economias, julgo dispor de capitais próprios para dispensar o crédito bancário (a menos que a taxa de juro valha a pena)
Peço desculpa pela longa missiva. Espero ter conseguido expor com suficiente clareza a minha ideia. Agradeço toda a informação e o apoio que gentilmente me possa disponibilizar."

Comentários:
1 - A apicultura é um excelente negócio de âmbito agrícola se o empreendedor for disciplinado, organizado e focado em ganhar dinheiro.

2 - Há muita procura de mel no mercado internacional sobretudo se for produzido no modo de produção biológico.

3 - Para o terreno que possui, caso nele possa ser autorizada a instalação de um apiário, pode ter no máximo de 100 colmeias. Por outro lado necessita avaliar o potencial melífero da região pois só desta maneira conseguirá determinar o número máximo de colmeias que pode de forma sustentável ter nesse ponto.

4-  Presumo que necessite encontrar outros terrenos para neles instalar mais  apiários. É um handicap, mas ultrapassável com trabalho, persistência e tempo.

5 - Recomendo que marque uma consulta com o Arq. Benjamim Machado da Espaço Visual (benjamim.machado@espaço-viusal.pt) para tornar claro como pode montar o processo e tirar partido das ajudas públicas ao investimento na agricultura.

6 - Conselho de amigo, alguém um pouco mais velho, com dezenas de anos de investimentos na agricultura, se gosta da atividade e acha que tem vocação, vá em frente, meta-se no negócio. Nesta condições, se não o fizer vai passar os próximos anos a sentir o peso de não o ter feito. Caso avance irá passar até três anos a maldizer o dia em resolvei fazê-lo, mas passado este tempo, tendo resolvido problema a problema, pormenor a pormenor, vai sentir-se muito bem e dará valor ao seu sucesso.

7 - Se fizer um bom projeto e tiver perfil para o negócio, caso tenha interesse, apresente candidatura à Rurisocieta, a qual está interessada em ser parceria (business angels) de investidores na agricultura integrando-se como sócia (sofia.freitas@rurisocieta.pt).

    

Sem comentários: