O autor deste blogue reserva-se o direito de publicar e responder aos e-mails e comentários que lhe são enviados (critérios: disponibilidade de tempo e interesse para os leitores). Os e-mails e comentários a merecer resposta devem obedecer à seguinte condição: o seu autor deve estar devidamente identificado com endereço e-mail e número de telemóvel.


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Pagamentos do ProDeR

O leitor António Alves colocou neste blogue a seguinte questão:

"Bom dia Eng. Martinho gostava de saber uma questão relativamente ao ProDer: efetuei em 15 de janeiro o Pedido de Pagamento (prémio 1ºa instalação) e com investimentos já planificados para esta primavera quanto tempo é que o IFAP demora a pagar?Lembro que contatei os Srs. do IFAP e informaram que ja estava CABIMENTADO e que depende essencialmente do Min. das Finanças.A minha preocupação é a seguinte em Dezembro pagaram uma grande tranche e agora como o Pais nao tem dinheiro...vao demoram uma eternidade a juntar muitos pedidos de pagamento...Faço votos para que sejam celeres no incentivo a quem yem coragem, ideias, é empreendedor e inova.Parabens pelo blog.Antonio Alves".

Comentários:
1 - Os responsáveis políticos e o IFAP indicaram que pagariam até finais de janeiro.
2 - A minha experiência, desde 1996, diz-me que na transição de orçamento de estado, mesmo antes crise financeira, não havia pagamentos entre finais de outubro e meados de março do ano seguinte.
3 - Na situação atual acho que haverá um atraso no máximo de 60 dias (meados de maio) embora no seu caso, como se trata do pagamento do prémio, o IFAP tem privilegiado o pagamento de ajudas ao investimento, faça planeamento para, na pior das hipóteses, lhe ser creditado o prémio até fim de junho.
4 - Caso o seu pagamento seja efetuado antes dos prazos indicados é sinal que a ministra Assunção Cristas tem peso político e consegue mudar a realidade que é normal acontecer em Portugal.
5 - É para casos semelhantes ao seu, que infelizmente são inúmeros desde há muitos anos, que eu defendo que o ministério da agricultura deveria enviar uma carta conforto formalizando o crédito e com a qual o meu amigo e demais proponentes na mesma situação, caso assim decidissem para não atrasarem os timings do investimento, teriam possibilidade de se financiarem junto da banca.

Sem comentários: