Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2019

Desenvolvimento das Agriculturas de Portugal

Quais as razões que impedem as agriculturas de Portugal de serem muito desenvolvidas?
Comentários:
1. A maioria dos cerca de 250 000 agricultores que existem em Portugal têm fracas competências de gestão, técnicas, sem objetivos de rentabilidade. 2. A sociedade portuguesa não tem objetivos definidos e claros para as suas agriculturas, não sabe o que quer atingir. A maioria dos cidadãos assume que somos “pequenos e pobres” e como tal, não sabe o que pedir aos políticos que lideram a sociedade. 3. Os políticos que nos lideram interpretam muito bem o sentimento da população e como tal limitam-se a gastar os fundos financeiros disponibilizados pela União Europeia, ou seja, atirar dinheiro para cima dos problemas, assumem o principio político “dar dinheiro a todos”

Jovem Agricultor - Perfil Para o Sucesso

Qual o perfil e caraterísticas pessoais do jovem agricultor com maior sucesso que conhece?
Comentários: 1.O jovem empresário agrícola com maior sucesso que eu conheço possui forte determinação para atingir os objetivos, tendo-os muito claros, assim como o caminho para lá chegar. 2.Possui uma curiosidade constante para os pormenores, uma insaciável procura de conhecimento com foco junto de quem já tem experiência nas atividades agrícolas que desenvolve. 3.Faz ele próprio uma recolha permanente, registo de cada pormenor que lhe acontece ao longo do dia e exige que também o faça cada colaborador permanente que trabalha na exploração. 4.Trata os dados recolhidos em 3. uma vez por semana e nessa altura reflete sobre o que fez foi a melhor ação ou que medidas corretivas deve assumir praticar no futuro para ter melhores resultados ou baixar custos. 5.Tem também um calendário mensal para se dedicar ao estudo da componente técnica e dos mercados. 6.Elabora um plano de ações anuais e o respetivo or…

Produção de Hortícolas

Caro Eng. José Martino, Antes de tudo obrigado por ter aceite o meu convite ...
 O meu nome é ..., tenho 35 anos, sou natural do .... mas resido e trabalho no Reino Unido há mais de 4 anos. Sou licenciado em Economia mas trabalho no sector financeiro há mais de 10 anos (nas Áreas de Auditoria e Gestão de Risco). Infelizmente não tenho formação técnica nenhuma em Agricultura. Escrevo-lhe para lhe agradecer todo o trabalho pro-bono que tem colocado à disposição de vários profissionais, e/ou curiosos do mundo agrícola no seu Blog, mas também para lhe pedir alguns conselhos. Há algum tempo a esta parte, tenho ponderado (juntamente com a minha família) mudar de vida e regressar a casa. Tendo eu, como muitos outros, uma "visão romântica" da agricultura, tenho o sonho de construir um projecto agrícola comercial de longo prazo. Esta minha "visão romântica" tem-me levado a passar várias horas na Internet a pesquisar tudo o que posso acerca de Agricultura e acerca de projecto…

Banco de Terras

O que é um banco de terras?
Comentários: 1.Uma câmara municipal ou comunidade intermunicipal desenvolvem um banco de terras, propõem-se arrendar terras aos proprietários que de forma voluntária colocam nesse banco o seu capital fundiário “terra” com o objetivo de ser subarrendado a quem tenha perfil e vocação para o explorar. 2.O pagamento da renda corresponde ao pagamento de juros do capital tal como fazem os bancos. 3.A Entidade que detém o banco de terras responsabiliza-se pelo pagamento da renda independentemente do subarrendatário a ter pago ou não. Além disso, assume também a responsabilidade no final do período temporal do contrato de arrendamento de devolver a terra pelo menos no mesmo estado de uso que a recebeu quando se iniciou o arrendamento. 4.Na estratégia do subarrendamento faz-se um emparcelamento funcional porque colocam-se as terras contíguas sob a alçada do mesmo explorador.

Olival

O olival intensivo deve continuar ou qual seria melhor estratégia para desenvolver a olivicultura em Portugal?
Comentários: 1.O olival é uma cultura incontornável para haver atividade económica e social em muitas das regiões do Interior de Portugal. 2.O olival sendo uma grande cultura necessita que seja feito um emparcelamento funcional através do banco de terras nas regiões de minifúndio. 3.A economia de escala do olival (superfície de exploração que torna mais baixos os custos fixos, ou seja, dimensão que otimiza os fatores de produção, estrutura de mecanização ou mão de obra (parte-se do pressuposto que os fatores de produção terra e capital não são limitativos) mínima deve ser 20 hectares. 4.As monoculturas em regiões muito extensas a prazo trazem problemas que podem ser evitados com zonagem e ordenamento. Colocar a cultura certa no sítio certo, deixar barreiras ecológicas, alternar culturas diversas em mosaico com dimensão acima da economia de escala das explorações agrícolas para …

Será possível fazer uma ação de larga escala ao longo do território nacional para modernizar a agricultura e floresta de Portugal?

Assisti ontem à intervenção que o Eng. Martino fez sobre o PISTÁCIO, no AGROMEETING “NOVAS CULTURAS” onde recordou as culturas que promoveu ao longo da sua vida profissional, com o objetivo de encontrar novos produtores, como sejam pistácio, pequenos frutos, kiwis, vinha, etc. E fiquei com uma dúvida que gostava que esclarecesse: será possível fazer uma ação de larga escala ao longo do território nacional para modernizar a agricultura e floresta de Portugal?
Comentários:
1. A crise económica de 2008-2016 e a intervenção da troika fizeram uma mudança de mentalidade na sociedade portuguesa relativa à visão da agricultura de Portugal: no passado os portugueses não davam grande importância ao valor económico e social das terras agrícolas, ao papel da agricultura na produção de alimentos, no equilíbrio em valor da balança agroalimentar, etc. e com a crise passaram a assumir outro papel e dar outro valor ao mundo rural que produz alimentos, que ocupa o território, que cria emprego e gera v…

Mirtilos - Consumo

Porque devo comer mirtilos? Quais as vantagens do seu consumo regular?
Comentários:
1. O consumo de mirtilos dispõe bem, mesmo que se coma em excesso não promove má disposição. Pode ser consumido ao longo do dia, acompanha refeições, ou funciona como um excelente snack para ser ingeridos nos intervalos das refeições. 2. O mirtilo é um fruto que deveria ser consumido diariamente porque tem baixos teor em calorias, apresenta riqueza em vitaminas B e C, e manganésio (este nutriente está associado à formação de tecidos eao crescimento), fibras (o seu alto teor aumenta a saciedade, reduz o apetite, fazendo com que não se sinta necessidade de ingerir mais alimentos, melhora o transito intestinal) altos níveis de antioxidantes (graças aos altos níveis de antioxidantes que contêm, os mirtilos ajudam o organismo a estabilizar os radicais livres, inibindo, assim, a oxidação de outras moléculas) assim como, quantidades de ferro, cálcio, potássio, magnésio, fósforo, sódio, zinco, cobre e ácido fóli…

Mirtilos - Cultura em Part Time

Li neste blog que o mirtilo tem um grande potencial de incremento do seu consumo. Estive a refletir e pode ser uma eventual opção para o quintal de minha casa que tem 1500 m2, tenho água para  rega, o terreno é de horta, sem encharcamentos quando chove muito. O que me recomenda fazer tendo em conta que estou localizado na periferia de uma cidade com 30 000 habitantes?

Comentários:
1. O mirtilo é um fruto rico em antioxidantes em linha com moderna nutrição humana para uma dieta equilibrada. O seu consumo deve ser promovido diretamente por cada dos produtores juntos dos respetivos familiares, amigos e vizinhos. A comercialização direta dos mirtilos em cadeias curtas é na minha opinião, para os microprodutores, uma estratégia inteligente para terem acesso ao mercado e valorizarem adequadamente as suas produções.
2. Recomendo que plante 4 – 6 variedades de mirtilos desde as de colheita precoce, passando pelas de estação e terminando nas tardias. Esta opção garante frutos desde maio até se…

Jovens Agricultores - Políticas de Nova Geração

Considero o Eng. José Martino um dos especialistas da agricultura portuguesa, aproveito para lhe dar os parabéns pelo seu trabalho pelo desenvolvimento da agricultura e para lhe lançar um desafio, comentar e responder às questões seguintes: A Ministra da Agricultura deu uma entrevista que o jornal Público publicou no dia de ontem, creio que a sua primeira grande entrevista (https://www.publico.pt/2019/11/21/economia/entrevista/agricultura-nao-devemos-ficar-refens-modelo-convencional-1894421 na qual disse o seguinte sobre os jovens agricultores nos quais meincluo “ No programa que temos em curso até 2023, demos privilégio à pequena agricultura, ao empreededorismo, nomeadamente, jovem, a esta renovação geracional que é determinante, mas também incentivamos novas práticas para poderem ser consentâneas com este modelo de desenvolvimento em que acreditamos.” (copiei na integra inclusive a falta do “n” na palavra “empreendedorismo” para não gerar análises fora do contexto). Li o programa do …

CULTURA DO PISTÁCIO - AGROMEETING "NOVAS CULTURAS" 2019.11.22

Li que escreveu há pouco um post de resposta à pergunta sobre o que iria defender na sua participação na Mesa Redonda, no Porto, no próximo sábado sobre “Floresta Portuguesa: cada parcela sua sentença?”, mas li neste blog que amanhã, em Amarante, irá participar no AGROMEETING sobre NOVAS CULTURAS, com uma intervenção sobre a Rentabilidade da Cultura do Pistácio e daí o desafio, pode explicar um pouco no blog o que irá falar sobre o Pistácio (pode ter interesse para quem não pode participar no evento, como é o meu caso)?
Comentários: 1.Temas a abordar na minha intervenção sobre a Cultura do Pistácio no AGROMEETING sobre NOVAS CULTURAS: a.A planta b.Produção e Mercado c.Solos e Clima d.Variedades e.Rentabilidade 2.O interesse de investir na cultura do pistácio advém de ser rentável e ter mercado interno e na exportação (por cada euro de custo de produção tem um preço de venda dos frutos 2 a 6 a vezes superior)

Quais os motivos que levam o Eng. José Martino a gastar tanto tempo, ao longo de tantos anos, com este blog (desde fevereiro de 2008)?

Li diversos post neste blog muito interessantes sobre temas diversificados e interrogo-me se consegue fazê-lo sozinho ou tem uma equipa por trás para o ajudar, mas a minha principal questão, quais os motivos que levam o Eng. José Martino a gastar tanto tempo ao longo de tantos anos com este blog (desde fevereiro de 2008)? 
Comentários:
1. O comentário acima é muito interessante porque comecei este blog como forma de desafio pessoal, escrever todos os dias. Passados alguns anos verifiquei que podia prestar um serviço público de ajuda a quem tem dificuldades de se iniciar e instalar na agricultura, assim como muito outros agricultores. Como recebo e-mails e mensagens com pedidos de esclarecimento particulares de determinada pessoa, muitos destes temas têm interesse público para muitos outros e daí, assumi o critério de responder no blog de forma anónima, porque o mesmo tempo que emprego a responder a uma pessoa de forma privada, publicando o post no blog, posso responder com o mesmo temp…

Mesa Redonda “Floresta Portuguesa: cada parcela sua sentença?”

Verifiquei neste blog que o José Martino irá participar na mesa redonda “Floresta Portuguesa: cada parcela sua sentença?”, na Galeria da Biodiversidade – Centro Ciência Viva / Jardim Botânico do Porto, no próximo sábado das 18h às 19h30. Que ideias irá defender neste evento?
Comentários: 1.Será um desafio interessante participar neste evento onde irei defender as seguintes ideias base: a)Não há floresta em Portugal, mas sim, há florestas em Portugal: a floresta de produção (eucalipto, pinheiro, sobreiro e azinheira) a floresta de conservação e do ecossistema que presta serviços públicos. Há florestas com as suas diferenças do Norte Litoral de influência atlântica, Norte Montanhoso, Centro Litoral, Centro Interior, Alentejo e Algarve. b)Floresta intensiva e extensiva (<100 ha="" o:p="" rvores=""> c)Ordenamento = respeitar os ecossistemas, floresta em mosaico, colocar cada espécie nos climas e solos adequados (fertilidade dos solos (a cada solo a sua flor…

Políticas de Nova Geração Para as Agriculturas de Portugal - Reformas no MInistério da Agricultura

Da sua vasta experiência de vida como agrónomo, consultor e empresário agrícola acredita que a realidade das agriculturas de Portugal irá mudar para melhor nos próximos anos? Pode ser mudada? O que defende ao nível das ações para desenvolver as agriculturas de Portugal? Comentários:
1. Quando se olha para a realidade das agriculturas de Portugal nos últimos 25 anos e se analisam os principais indicadores não se auguram grandes melhorias para os próximos 10 anos, mas sim, uma evolução na continuidade, aportação de grande quantitativo de recursos financeiros (800 M€ a 1100M€ / ano) para pequenas melhorias na balança do complexo agroalimentar, não se sabendo quando equilibrará (está com défice estrutural de 3800 M€), pequenos avanços positivos no rendimento liquido dos agricultores não se vislumbrando quando será fortemente positivo, etc. 2. A realidade um pouco cinzenta indicada em 1. para o futuro pode ser mudada com políticas de nova geração: novo modelo de atribuição de ajudas, acab…

Sucesso e insucesso na agricultura - explicação do fenómeno

Noto que há muita dificuldade em encontrar explorações agrícolas rentáveis. Como explica este fenómeno? Comentários:
1. A falta de rentabilidade de um elevado número de explorações agrícolas advém do contexto económico em que se desenvolve a atividade, seja no âmbito da economia de Portugal, seja no enquadramento da União Europeia, isto é, há uma política económica desenhada e implementada para baixo nível de inflação, na qual o custos da comida das populações europeias tem de ser baixo porque é um dos principais componentes do cabaz das necessidades do cidadão europeu. Para conseguirem este objetivo político abriram-se mercados, desregularam-se para se pedir ao empresário agrícola a quadratura do circulo, uma produtividade elevadíssima, ao mesmo tempo com uma qualidade top e o cumprimento de apertadas regras de sustentabilidade ambiental. O que é normal na natureza, é que quando se força uma alta produtividade a qualidade baixe. O que se está a exigir ao agricultor é um esforço sobr…

Formação Profissional Agrícola - Espaço Visual

Comecei a minha exploração agrícola há 7 anos e até esta altura tem sido rentável. O que recomenda que eu faça para manter a minha exploração agrícola sustentável e competitiva? Comentários:
1. Dou-lhe os parabéns pelos resultados  obtidos porque há muita dificuldade em encontrar explorações agrícolas com rentabilidade ao fim de 7 anos de atividade, é preciso mais tempo para amortizar os avultados investimentos resultantes de montar a estrutura de produção com assento de lavoura, infraestrutura do regadio (captações, armazenamento e distribuição da água) estrutura de  mecanização com máquinas e equipamentos, formação da equipa de trabalho fixa. 2. Para manter os excelentes resultados obtidos deve fazer uma aposta constante e permanente na formação profissional ao nível do empresário, chefe de exploração, operadores especializados e mão de obra sazonal. 3. Deve elaborar um programa de formação especifico para cada uma das pessoas que ocupam as funções indicada em 2. 4. A formação prof…

Espaço Visual - Agromeeting - Novas Culturas - 22 novembro

JoséMartino, administrador da Espaço Visual, falará sobre o potencial de rentabilidade do pistácio na próxima das AgroMeetings, Instituto Empresarial do Tâmega em Amarante, na próxima 6.ª feira, dia 22 de novembro.

Haverá apresentação da cultura de hortícolas baby em hidroponia, pelo Eng. José Carlos Mendes e da cultura do limoeiro, Eng. João Saramago. 

O agromeeting é organizado pela Espaço Visual.

Inscrições: http://bit.ly/31kYY5q. — em IET Instituto Empresarial do Tâmega.


Figo da ìndia

Diz que vê potencial ao mirtilo e o que opina sobre o figo da índia? Terá mercado e futuro? Comentários: 1.Vejo potencial ao figo da índia porque dentro dos novos frutos que já experimentei fazer consumo familiar em minha casa, o figo da índia é um dos poucos frutos que ficou e tem consumo regular. 2.Tive receio no consumo da primeira vez que comprei os figos da índia e os levei os para degustar e consumir em casa. Confesso que tive fobia aos espinhos finos do fruto. Fiz uma pesquisa na internet sobre o modo de descasque e consumo. Rapidamente percebi que são cortadas as duas extremidades como se faz no melão e passa-se o bico da faca a cortar a casca no sentido longitudinal, desta forma pode-se destacar a casca da polpa e consumir a polpa. 3.Mais recentemente um técnico amigo confessou-me que além de fazer como eu faço separa com uma colher pequena, a casca exterior da casca do seu interior que se encontra agarrado e que mistura este último com a polpa esmagada do fruto. 4.Como em minha…

Mirtilos (II)

Comecei este ano com um pomar 1ha e estou a planear o 2° com as variedades Legacy, Liberty e Aurora já plantadas........depois num terreno com 100 m2 tenho como experiência Star, Duke e Draper........2020 será o meu primeiro ano de colheita. Sopé da da serra da Estrela. Gostei de saber que temos potencial com o fruto.
Comentários:

1. Caso o seu mercado alvo seja a exportação plante pelo menos 1 hectare por variedade.
  2. Avalie junto de quem lhe irá comprar as produções quais a variedades que tem maior interesse comercial.
  3.Visite outras explorações de mirtilos já em produção e verifique quais as variedades com maior valorização, interesse comercial, facilidade de colheita, etc.
  4. Aposte nas variedades mais interessantes de acordo com o conhecimento adquirido em 3.
  5. Aposte na divulgação das vantagens do consumo dos mirtilos junto dos seus familiares e amigos.

Mirtilo

Bom dia, O mirtilo foi uma moda ou irá continuar a dar e será uma cultura com interesse futuro? Quais são os locais onde produz melhor? Cumprimentos,
Comentários:
1. Na minha opinião, o mirtilo é uma atividade agrícola com excelente potencial e interesse quer para exportação, quer para o mercado nacional, porque é um fruto rico em antioxidantes, em linha com as modernas tendências da nutrição humana, o qual, é de fácil consumo, não necessita ser descascado, pode ser consumido à mão diretamente da embalagem, desde o pequeno almoço até ao jantar ou pós jantar passando pela refeição a meio da manhã, almoço, e lanche. É um fruto que consegue ser consumido desde crianças em tenra idade até idosos. Quem consome mirtilos que provenham de produtores que tenham o mínimo de cuidado na determinação da data de colheita e posterior utilização da cadeia de frio, sente-se satisfeito pelo sabor, textura e aroma do fruto.
2. Se o fruto tem potencial de mercado conforme o explicado em 1. tem também potencia…

Agronomia: Considera Que a Sua Geração de Agrónomos Conseguiu Melhorar e Dar Valor Acrescentado nas Agriculturas de Portugal?

José Martino, boa noite, Verifiquei no seu blog que tem 2 posts sobre agronomia e na minha qualidade de estudante de agronomia no ISA (Instituto Superior de Agronomia) venho questionar o seguinte: considera que a sua geração de agrónomos conseguiu melhorar e dar valor acrescentado nas agriculturas de Portugal? Quais as necessidades agronómicas que identifica em Portugal para os próximos 25 anos? Espero pelas respostas, Agradecida. Saudações agronómicas
Comentários: 1.Olhando para os desenvolvimentos agronómicos desde julho de 1985, ano em que deixei o ISA tendo concluído a parte escolar da licenciatura de agronomia de 5 anos (levei1 ano para realizar estágio curricular na cultura do kiwi. Obtive o grau de licenciado em agronomia em fevereiro de 1987) até aos dias de hoje, verifico que o desenvolvimento e crescimento das agriculturas de Portugal teve mais a ver com a disponibilização dos fundos financeiros públicos europeus para apoio ao investimento e rendimento dos agricultores, das…

Jovem Agricultor: Como Financiar a Atividade?

Eng. José Martino, boa noite,
Vi que há algum tempo respondeu a dois colegas jovens agricultores, um a quem tudo corria mal no inicio do lançamento de uma exploração agrícola e outro a quem corria bem a agricultura, no meu caso tenho dificuldades porque não consegui receber as ajudas do PDR2020 em tempo útil devido à burocracia da Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo e do IFAP, verifico que o fundo de maneio era escasso dessa forma ainda se tornou mais reduzido. O que me aconselha a fazer? Cumprimentos,
Comentários: 1.Se não recebeu todas as ajudas a que tem direito pelos pedidos de pagamento já apresentados faça um forcing junto do técnico da Direção Regional de Agricultura que acompanha o seu projeto no sentido de o sensibilizar para a necessidade pessoal que tem em receber as ajudas e para aconselhar sobre o que deve fazer, passos a dar para acelerar o processo e o dinheiro ser-lhe creditado na conta bancária rapidamente. 2.Paralelamente ao indicado em 1…