quarta-feira, 7 de Março de 2012

Dicas para um jovem agricultor se lançar na atividade

A leitora  L. Veloso fez o seguinte comentário neste blog:

"Exmo Sr. Eng. José Martino,

Assistimos à Grande Reportagem na passada 2ª feira com muito entusiasmo.

Somos um casal que, de há uns anos para cá, alimenta o sonho de
implantar uma exploração de agricultura biológica. Contudo, o nosso percurso profissional tem-nos levado a adiar a concretização do nosso projecto.

Apesar de não termos experiência nem formação na área da agricultura,temos nela um grande interesse, pois vimos do meio rural, e consideramos a alimentação um pilar primordial na nossa atitude de vida. Estamos conscientes do impacto da nossa presença no planeta e da necessidade que há em oferecer alternativas às pessoas.

A partir do momento que tomámos consciência de que, se queremos ver
uma mudança positiva no mundo, temos de começar por nós, decidimos que queríamos fazer agricultura biológica. Queremos dar primazia aos produtos biológicos e ao comércio local, e dar um passo no
desenvolvimento sustentável em meio rural. E, ao que parece, não
estamos sós, há um número crescente de pessoas a seguir este caminho.

Temos formações diversificadas. Eu sou titular de um curso superior que em nada tem a ver com a agricultura, e pratico a profissão há 14 anos. O meu companheiro tem uma licenciatura em ordenamento dos recursos naturais, mas no entanto, desenvolveu o seu percurso profissional na área das artes.

Pelo que temos lido sobre os incentivos à instalação de jovens
agricultores, particularmente sobre o ProDeR, é o meu companheiro que
pensamos ser o mais qualificado de nós os dois, dada a sua licenciatura na área do ambiente.

Gostaríamos que nos aconselhasse sobre as hipóteses existentes para obter apoios (ProDeR ou outros). Além disso gostaríamos de saber que tipo de formação nos aconselha, sabendo que temos 35 e 37 anos de idade e que o limite são
os 40 anos. Segundo a nossa pesquisa, os cursos existentes não são muito variados, são longos e distantes da zona oeste, onde nos queremos instalar.

Pensamos que a formação é essencial e que deverá ser contínua. Mas a
questão é que temos de garantir um rendimento mensal para o nosso
sustento! Será que temos hipóteses de obter a aprovação do programa
ProDeR com a formação que temos (não específica em agricultura), ou a formação específica é uma condição sine qua non?

A respeito dos Cursos de Jovens Agricultores da Espaço Visual, gostaríamos de saber informação mais detalhada (local, data de inicio, horários, duração, preço e programa dos cursos).

Gostaríamos ainda de felicitá-lo pelo trabalho que tem feito e pela
sua dedicação ao desenvolvimento rural.O seu blog tem sido para nós muito útil e informativo."

Comentários:
1 - Se o V/ sonho é terem uma exploração no modo de produção biológico, recomendo que comecem por visitar as explorações agrícolas deste tipo que existem na V/ Região. Creio que há uma listagem no sitio da internet do GPP ou DAGDR (procurem estas organizações do Ministério da Agricultura pelo google). Podem consultar a AGROBIO que também vos dara contatos. Na minha opinião a agricultura biodinâmica é a mais interessante porque se podem exportar as produções com alto valor acrescentado.

2 - Nas visitas peçam aos agricultores contatos de outros colegas. Incrementem as visitas.

3 - Façam um guião de perguntas previamente a cada visita. Após a visita escrevam um relatório do que aprenderam. Tentem conhecer os ossos de oficio de cada uma das atividades. Perguntem sobre os pormenores em todos as reuniões. Os melhores empresários agrícolas que eu conheço são insatisfeitos por natureza quanto a informações. Sabem todos os pormenores, preços, fornecedores, clientes, etc. e por norma estão constantemente à procura de informações que os façam estar mais atualizados.

4 -  Escolham a atividade agropecuária que mais se adeque à V/ vocação, aquela que vos faz vibrar, que vos coloca um "brilhosinho nos olhos".

5 - A melhor aprendizagem é estagiarem com agricultores da V/ atividade.

6 - Façam a instalação como jovem agricultor, no presente ano, do mais velho dos dois. Deixem a instalação do outro para o quadro comunitário de apoio de 2014 a 2020 porque terão capacidade para fazerem um projeto de maior envergadura e na minha perspetiva, as ajudas serão melhores.

7 -  Para fazerem a instalação como jovem agricultor precisam de terra e por isso, recomendo  que procurem encontrar terras para arrendar na região onde habitam (se existisse o banco público de terras seria mais fácil porque fazendo a inscrição teriam acesso aos prédios disponiveis). É uma procura que deve levar entre seis meses a um ano. Quanto mais perto da V/ casa estiver a V/ exploração agrícola mais baratas serão as deslocações (os combustiveis estão caros e as deslocações têm peso nos custos de produção)

8 - Lancem o jovem agricultor em part time, ele que continue com o seu trabalho e aproveitem as horas livres  para trabalharem na agricultura. Façam um bom plano de negócios, há muitos modelos na net, podem experimentar. Se tiverem capital e dimensão de exploração podem contratar uma empresa especializada  como por exemplo, a Espaço Visual para vos assessorar (procurem na net porque há boas empresas neste segmento de negócio).

9 - Após a submissão do V/ projeto na base de dados do ProDeR podem frequentar os cursos de jovens agricultores financiados pelo ProDeR, não têm custos para os formandos, têm a mesma estrutura programática em todo o continente. Portanto, podem e devem concorrer com a formação que possuem. Os horários dos cursos que estão a decorrer na Espaço Visual (Gondomar) são das 19 as 23 h, durante a semana (duas a três vezes por semana) e aos sábados das 9h às 18 h.

Tenho todo o gosto em obter, neste blog, notícias sobre o desenvolvimento do V/ projeto. Se precisarem de assessoria especifica para o V/ projeto devem contatar a eng. Sónia Moreira da Espaço Visual (917 075 852). Desejo-lhes as maiores felicidades e sucessos empresariais!

1 comentário:

xicotechenko disse...

Boa tarde. Tambem eu aguardo com expectativa as noticias acerca de banco de terras e do novo quadro comunitário de apoio de 2014 a 202.
Porque diz que os apoios serão melhores?