Que atividades, que financiamento?

Paula Robalo disse:
 
"Boa tarde Eng.José Martino. Felicito-o desde já pelo seu interessante e importante blogue. A ultima vez que me desloquei ao IFAP, para pedir algumas informações e opiniões, foi-me dito para estudar o mercado...Obviamente que sim, mas se tivermos alguém no terreno que nos elucide sobre determinadas culturas que muitas das vezes desconhecemos, agradecemos profundamente....tenho 44 anos e quase 5 hectares para cultivar entre Viseu e Mangualde...fica a 800 m do rio e muito dado a fortes geadas de inverno. Inicialmente pensámos em fazer plantação de mirtilos, mas penso que já existem plantações em excesso.. pensei também na produção de Kiwi, mas não sei se será o mais indicado para esta zona. A possibilidade dos frutos secos também não está fora de questão. O problema é que não sendo "jovem agricultora", desconheço outras formas de ajudas comunitárias (novo quadro comunitário para 2014-2010)...Gostaria de conhecer a sua opinião".
 
Comentários:
1 - Agradeço as suas simpáticas palavras onde parece me coloca ao mesmo nível de uma Instituição com o peso, prestigio e dimensão do IFAP, o que como sabe não é verdade.
 
2 -  De mirtilo não existem plantações em excesso porque fazendo contas por cima poderão existir 1000 há em Portugal, superfície esta que na dimensão internacional da fileira representa um valor residual. Por outro lado, o potencial produtivo da maioria destas plantações é incipiente porque as plantações estão colocadas em terrenos sem aptidão, outras estão nas condições mas a instalação foi mal executada e muitas outras tiveram excelente implantação nos locais adequados, mas não foram devidamente tratadas nos três primeiros anos, deficiências de nutrição e rega, comprometeram o seu potencial produtivo pleno e expectável.
 
3 - Essa região com as condições indicadas não tem aptidão para o kiwi.
 
4 - Frutos secos ou outras atividades estão dependentes da análise concreta à propriedade que possui, dos seus solos e do clima. O ponto chave é: qual é a sua vocação? O que gosta de fazer? Que atividade a motiva para fazer o que pode e mais alguma coisa?
 
5 - Não me parece positivo misturar escolha de atividades agrícolas com dificuldades de financiamento. Na minha opinião se determinado projeto for bom, estiver bem estruturado, com pormenores dominados, consegue obter financiamento.
 
6 - A minha opinião: definir o leque de atividades agrícolas para a sua propriedade. Visitar explorações do tipo das que pode desenvolver. Perceber os pormenores de cada uma, os seus ossos de ofício, os seus pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças. eleger a atividade para a qual tem vocação.Elaborar o projeto. Montar a estratégia do seu financiamento. Estagiar. Investir. Explorar
 
7 - Participe nos workshops, conferências, seminários, etc. eventos da Espaço Visual (www.espaco-visual.pt)        

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Rentabilidade da Cultura da Vinha e Economias de Escala

Ajudas ao investimento nos castanheiros