Deficiência no Seguro de Colheita

Na Primavera da presente campanha de produção de kiwis houve alguns agricultores que tiveram geada, a qual lhes deu prejuízos superiores a 80% da produção segura (na zona afectada).

Qual não foi o N/ espanto quando as peritagens realizadas em Setembro/Outubro, pelas companhias de seguro, não assumiram qualquer indemnização porque as zonas que sofreram as elevadas perdas estavam integradas em grandes parcelas do “Parcelário”. Segundo os peritos, para efeito de avaliação de prejuízos, a parcela a ter em conta é a que consta no “Parcelário Agrícola“, a qual, é demasiado grande face àquela que foi afectada (o seguro só assume prejuízos superiores a 5%).

Assim sendo, recomendo a todos os agricultores que vão a uma “Sala de Parcelário” e que delimitem como parcelas as zonas mais atreitas à geada. Desta forma, conseguirão para os próximos anos, ser ressarcidos dos danos que a geada lhes virá a causar.

Comentários

Subversivo disse…
O que se passa com os seguros agrícolas é um escândalo! Enquanto não deixarem que novas seguradoras entrem no sistema fomentando a competição entre elas, estamos perante um "el dorado" para as que estão actualmente no SIPAC. Isto, para já não falar nos técnicos que são simultaneamente peritos das duas partes intervenientes no processo...
José Silva disse…
...
Isto parece uma história mal contada (ou mal entendida?).

Há uma apólice?
O produtor tem um seguro para cada parcela ou para o conjunto? Se fosse uma frota de 100 viaturas e se 5 ficarem danificadas/destruídas o seguro cobria. Só 4 já não? E se for individual, cobre sempre?

Ou então é pelo valor seguro e só cobre a partir dum valor mínimo (franquia)?

Já era tempo de sabermos com que linhas nos cosem...

Mensagens populares deste blogue

Rentabilidade da Cultura da Vinha e Economias de Escala

Ajudas ao investimento nos castanheiros