Acha inviável um projecto neste sector da horticultura?

Telmo Roxo disse:

Sr. Engº José Martino

- Relativamente aos produtos a apostar, estou a pensar na couve, alho francês, cebola, cenoura, feijão verde, batata e alface. Relativamente á comercialização, existe problemas da minha parte para efectuar o escoamento do produto. Apesar de ter estabelecido contacto com um grossista do mercado abastecedor do porto, garantindo-me ele que efetuaria algum escoamento, para as áreas que refere, parece-me de todo impossível que este me realize todo o escoamento. Será difícil efectuar escoamento dos produtos em mercados abastecedores como o do Porto? Têm me dito que se por algum motivo houver excesso de produção, nestes mercados escoariam com facilidade os produtos excedentes.

- Relativamente á escolha pela horticultura, optamos por este sector porque é um sector em que temos já algumas experiencias, mas acha que é um mau investimento neste ramo? Acha que o custo de produção é muito elevado em relação ao preço final do produto? Acha inviável um projecto neste sector?

- No que diz respeito ao ponto 3, possuo em termos de área á volta de 5 ha de terreno junto, mas para uma área coberta de 10000m2 o investimento será muito elevado, e tenho muito receio que com as dificuldades e deficiências a nível de plataformas de escoamento de produtos na nossa região, o projecto não tenha pernas para andar.
No seu ponto de vista para uma área coberta de 3000m2, é de todo impossível a criação de riqueza necessária para a manutenção dos dois postos de trabalho?

Peço desculpa se fui repetitivo, mas encontro-me com muitas duvidas.

Agradeço imenso os seus esclarecimentos,

Cumprimentos."


Comentários:

1 - Para investir na agricultura deve elaborar um Plano de Negócios, mesmo que seja sumário, onde entre coisas identificará o seu mercado, quem serão os seus clientes. O mercado abastecedor do Porto está com dificuldades em valorizar as produções dos horticultores porque uma parte dos consumidores deslocaram-se para as grandes cadeias de supermercados e a outra parte que compra em frutarias ou consome em restaurantes, perdeu poder de compra e muitos deles têm família no campo, as quais possuem hortas familiares que os abastecem.

2 - Nos hortícolas que pretende produzir deve ponderar qual a sua mais valia como novo produtor, devendo para este efeito visitar explorações hortícolas. Comece por falar com os responsáveis da Hortijales, continue até à Póvoa do Varzim e termine na região de Torres Vedras (região do Oeste). Irá verificar que a exportação é a principal via para o sucesso nesta atividade. Não faça investimentos na horticultura sem ouvir os profissionais. Há muita especialização e conhecimento neste setor que são necessários adquirir. Aprenda com os erros dos outros e evite cometer os mesmos, pois estes custam muito dinheiro e são a causa de muitos insucessos.

3 -  Deve definir as economias de escala para as hortícolas que pretende produzir (incluindo a batata), número de hectares que lhe tornam os custos de produção mais baratos e compare com a dimensão da sua exploração (comece com as terras que tem disponíveis, sabendo que dentro de 2 a 4 anos terá que incrementar a superfície da sua atividade).

4 - O insucesso ou sucesso de novos produtores na horticultura estarão dependentes do perfil do empresário, do seu trabalho de casa, da sua ligação a estruturas de valorização das produções, do tipo de produtos, do modo de produção (convencional ou biológico), etc. Terão dois desafios, por um lado serem capazes de produzir de modo competitivo, atingir uma produtividade que garanta que o valor das vendas estará acima dos custos e por outro lado, encontrar os operadores comerciais que garantam escoamento e valorização das produções.

5 - Pergunta-me se acho inviável um projeto neste setor. Resposta: acho que os projetos neste setor são interessantes se o trabalho de casa estiver bem feito, conforme o indicado acima nos pontos 1, 2, e 3. O que verifico, dois exemplos: os sócios da PAM, Organização de produtores da Póvoa de Varzim, a deixarem as hortícolas em estufa e a dedicarem-se a pequenos frutos (framboesas, morangos, etc.), bem como os horticultores do ar livre da região da Póvoa do Varzim a terem dificuldades na valorização das suas produções, noto que se não fossem os operadores espanhóis a intervir na região, muitos dos horticultores teriam abandonado a atividade.

6 - Na minha opinião, os projetos de investimento na horticultura com pequena dimensão podem ter problemas de rentabilidade se não forem acautelados os custos de transporte, isto é, transportar pequenas quantidades de cada vez pode acarretar custos superiores à margem bruta que esse mesmo produto gera. Tem perto de si o maior especialista que eu conheço sobre a horticultura, Sr. Norberto Pires da Hortijales, caso seja possível, consulte-o e adquira conhecimento sobre o negócio.

Votos de bons investimentos e bons negócios na horticultura!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Rentabilidade da Cultura da Vinha e Economias de Escala

Ajudas ao investimento nos castanheiros